Ortodontia

Ortodontistas preocupados com a popularidade de aparelhos ortodônticos transparentes ‘caseiros’

Ortodontistas preocupados com a popularidade de aparelhos ortodônticos transparentes ‘caseiros’

O elevado custo dos aparelhos ortodônticos está a impulsionar o surgimento de ‘métodos’ alternativos. É o caso dos aparelhos ortodônticos transparentes ‘caseiros’, cuja popularidade está a preocupar os profissionais do setor, que temem que as consequências tenham custos bastante mais elevados para os pacientes.

Ed Ambrosius, Diretor da EZ Smiles, empresa australiana especializada em aparelhos ortodônticos ‘invisíveis’ que são entregues em kits ao paciente, diz em entrevista ao Dental Tribune que a empresa trata casos de pacientes que “nunca considerariam colocar aparelhos ortodônticos transparentes através dos métodos tradicionais devido ao custo e ao tempo de consultas envolvidos”.

O método da empresa envolve três passos: o paciente completa um questionário e compra um kit de impressão, que depois é devolvido à empresa que será responsável por determinar que tipo de aparelho é adequado para aquele paciente. O aparelho ortodôntico é criado à medida do paciente e enviado para sua casa, com as indicações relativamente ao tratamento que devem ser seguidas. Todo o tratamento é feito sem que o paciente tenha que ser visto por um especialista.

Howard Holmes, da Western Australian Branch of the Australian Society of Orthodontics (ASO), refere ao Dental Tribune que “a recente emergência de startups especializadas em aparelhos ortodônticos transparentes ‘caseiros’ que são enviados para casa dos pacientes está a preocupar os ortodontistas australianos. Para além disso, estamos profundamente preocupados com a aparente falta de regulação desta indústria disruptiva. Como não há dentistas e ortodontistas a providenciar este serviço ou a ‘tratar’ o paciente, estes aparelhos ‘do-it-yourself’ não cabem dentro da regulação tradicional. Isto deixa o público numa posição muito vulnerável e em risco de não poder recorrer se algum problema surgir”.