- Saude Oral - https://www.saudeoral.pt -

Musculação: um hábito ‘saudável’ que pode prejudicar a saúde oral

A atividade física é uma maneira eficaz de melhorar a saúde em geral e uma forma comum de exercício é o treino de resistência, que inclui levantamento de peso e musculação. Embora os benefícios desta prática para a saúde estejam bem sustentados, há evidências crescentes do potencial risco de lesões, especialmente musculoesqueléticas. Uma das áreas do corpo afetadas é a área orofacial. A medicina dentária desportiva é uma das mais recentes áreas da medicina dentária e atua na prevenção, diagnóstico e tratamento das lesões orofaciais que estão associadas à prática de qualquer tipo de atividade desportiva. Segundo um estudo publicado em 2010, [1] apenas um terço das lesões orofaciais que ocorrem no desporto são em desportos de contacto, indicando que a maior parte das mesmas ocorre em desportos de não contacto.

Os praticantes de levantamento de peso e musculação tendem a ocluir as arcadas durante a atividade física de esforço máximo e fazem-no para melhorar o seu desempenho. Isto pode assemelhar-se à atividade parafuncional denominada por bruxismo.

A definição de bruxismo [2] está em debate há algum tempo. É de consenso que o conceito de bruxismo é “uma atividade repetitiva da mandíbula” que pode ocorrer durante o sono (bruxismo noturno) ou durante a vigília (bruxismo diurno). O bruxismo diurno é uma atividade dos músculos mastigatórios que ocorre durante a vigília, que se caracteriza pelo contacto repetitivo ou sustentado dos dentes e / ou pelo apoio ou deslocação da mandíbula. Isto não inclui outros comportamentos que as pessoas praticam durante o dia, como morder os lábios, a caneta, etc. Estes são chamados de hábitos orais. Acredita-se que o bruxismo diurno esteja relacionado com o stress, ansiedade e/ou concentração.

Segundo um artigo publicado [3] em 2014, é comum a oclusão das arcadas durante um exercício de esforço máximo, como o levantamento de peso e a musculação, pois o corpo está sujeito a um grande stress físico devido à grande concentração e esforço que são exigidos para estes exercícios. Assim, é também natural a procura pelo equilíbrio, por forma a alcançar a melhor performance possível.

Um outro estudo [4], feito em 2017, tinha como objetivo avaliar os possíveis efeitos orofaciais numa população de 95 homens jovens e saudáveis (entre os 18 e os 41 anos). Estes foram divididos em dois grupos que realizavam treinos de levantamento de peso: um grupo de profissionais, que realizava treinos extensivos (há mais de seis anos com pelo menos quatro sessões de treino por semana) e um outro grupo de amadores, que treinava por motivos recreativos (com frequência de treino inferior a quatro vezes por semana). A hipótese inicial era de que existe uma ligação entre este tipo de exercício e o deslocamento do disco articular com redução. Esta hipótese foi baseada na etiologia de que a pressão intracapsular, realizada durante o aperto, pode causar o deslocamento do disco por afetar a lubrificação da articulação. Esta teoria não foi sustentada pelos resultados, porque não foram encontradas diferenças significativas entre os dois grupos. Da mesma forma, não houve limitação na abertura da boca devido a uma possível hipertrofia dos músculos mastigatórios, uma vez que ambos os grupos exibiram amplitudes de abertura bucal ativa e passiva semelhantes. Este estudo indicou, ainda, que as abfrações dentárias são significativamente mais prevalentes no grupo de praticantes profissionais em comparação com o grupo de amadores. Assim, as forças de oclusão extensas podem ser um fator que contribui para este tipo de desgaste. As lesões de abfração podem servir como uma possível explicação para as lesões dentais cervicais. As cargas de oclusão causam forças de flexão no dente e essas tensões repetitivas levam a forças de estiramento e de torção no colo deste, o que danifica as ligações do cristal de hidroxiapatita e leva a quebras no esmalte e, finalmente, à perda da camada exterior do dente nessa zona. Uma carga oclusal excessiva durante atividades parafuncionais, como o aperto, pode contribuir para este fenómeno. Uma vez afetada a área cervical do dente, este tende a desenvolver sensibilidade e cáries. Este estudo concluiu, também, que a existência de fissuras nas faces laterais da língua foi significativamente mais prevalente no grupo de atletas profissionais e a presença de fissuras é indicativa de aperto / bruxismo. Assim, de acordo com a literatura revista, o grupo de atletas profissionais apresentou mais sinais de bruxismo diurno do que os atletas amadores, provavelmente devido ao uso excessivo dos músculos mastigatórios durante o treino. No entanto, são necessários mais estudos, pois há ainda escassos artigos científicos publicados sobre este tema.

Como o número de pacientes à procura de tratamentos para o bruxismo está a aumentar e a prática de musculação é cada vez mais comum, é importante o médico dentista estar alerta também para este potencial fator, sabendo avaliar e interligar de forma abrangente os hábitos e /ou comportamentos dos pacientes, para que estes possam ser tratados consoante as suas particularidades.

Além disso, muitos hábitos potencialmente nocivos, quando não identificados e eliminados / corrigidos, podem explicar algumas das suas condições orais e ter interferência no sucesso do plano de tratamento.

RESUMO

A atividade física é uma maneira eficaz de melhorar a saúde em geral e uma forma comum de exercício é o treino de resistência, que inclui levantamento de peso e musculação. Embora os benefícios desta prática para a saúde estejam bem sustentados, há evidências crescentes do potencial risco de lesões, especialmente musculoesqueléticas. Uma das áreas do corpo afetadas é a área orofacial.

Os praticantes de levantamento de peso e musculação tendem a ocluir as arcadas durante a atividade física de esforço máximo e fazem-no para melhorar o seu desempenho. Isso pode assemelhar-se à atividade parafuncional denominada por bruxismo.

Como o bruxismo é um distúrbio multifatorial e cada vez mais comum, é importante o médico dentista estar alerta também para este fator, que tem potenciais prejuízos na saúde oral, pois é importante o paciente ser tratado segundo as suas particularidades para melhorar a previsibilidade do tratamento.

O objetivo principal desta revisão narrativa é perceber o impacto deste tipo de treino na saúde oral. Todavia, apresenta algumas limitações no que respeita à quantidade de estudos científicos disponíveis ainda sobre o tema.

Palavras-chave: “resistance training”, “weight training”, “bruxism” e “orofacial injuries”.

Artigo publicado originalmente na edição n.º 135 da revista SAÚDE ORAL [5], de novembro-dezembro de 2020.