Congresso OMD

XXIV Congresso OMD: Desafio superado

Bastonário da OMD nomeado membro do Conselho Económico Social

De 12 a 14 de novembro todos os caminhos da medicina dentária conduziram ao MEO Arena, o palco onde se realizou o XXIV Congresso da OMD. Para Ricardo Oliveira Pinto, presidente da Comissão Organizadora, este foi um desafio “desde logo pelo espaço, que proporcionou aos profissionais de saúde oral melhores condições logísticas, hoteleiras, de restauração e infraestruturas, o que permitiu uma maior adesão ao Congresso”.

Pelas contas da organização terão passado pelo MEO Arena mais de 3600 congressistas, “o que é um recorde absoluto e até superámos os números do ano passado”, referiu à SAÚDE ORAL Ricardo Oliveira Pinto. “Este ano efetuamos vídeos com estudantes e médicos dentistas, o que permitiu estarmos mais próximos da classe e dos jovens”.

De facto, o primeiro dia do Congresso da OMD foi marcado por uma grande afluência dos médicos dentistas mais jovens, que aproveitaram o evento para assistir às palestras e conhecer as mais recentes novidades das empresas ligadas ao setor da medicina dentária.

Ainda no primeiro dia, a organização preparou uma surpresa ao inaugurar a Expo-Dentária com um jogo de luzes e fogo-de-artifício naquela que é a maior feira de medicina dentária do país.

Auditórios em módulos exteriores

Após o primeiro impacto da entrada no MEO Arena, os congressistas tiveram alguns constrangimentos para encontrar o caminho para os auditórios 1 a 5, instalados em módulos exteriores ao MEO Arena. “Naturalmente que os módulos exteriores foram um desafio, pois estavam implementados nas regiões periféricas do MEO Arena e tivemos de criar fluxos que representaram um desafio ao início e pequenos constrangimentos de orientação”, referiu Ricardo Oliveira Pinto.

“No entanto, ao longo dos três dias, esses constrangimentos foram sendo resolvidos à medida que as pessoas iam conhecendo o espaço e se iam habituando. É normal, foi a primeira vez que organizámos o evento neste espaço, mas ao longo dos dias foi-se consolidando e a feira continua a ser o sucesso que já nos habituou nos últimos anos”.

Cheques dentistas até aos 18 anos

O segundo dia do Congresso ficou marcado pela cerimónia oficial de abertura, que contou com a presença, entre outros, de Jorge Sampaio e Fernando Leal da Costa, ministro da Saúde.

Jorge Sampaio, em representação da Plataforma de Apoio aos Estudantes Sírios, agradeceu o apoio que os médicos dentistas têm dado aos estudantes vindos da Síria na prestação de cuidados orais.

Jorge Sampaio

Já o ministro da Saúde Fernando Leal da Costa, que acusou a oposição de “usurpar o Governo a quem legitimamente o ganhou”, aproveitou para manifestar preocupação quanto ao futuro da saúde com um executivo de esquerda.

“Não posso deixar de vos expressar a minha enorme preocupação quanto ao futuro da saúde em Portugal, caso se venha a confirmar a entrada em funções de um Governo de frente de esquerda”. Leal da Costa aproveitou a ocasião para anunciar o alargamento do programa Cheque Dentista a jovens de 18 anos.

“Não poderia estar a adiar mais essas decisões. Tudo o que tenha a ver com atos de caráter administrativo, como é o caso, que envolvem a planificação por parte da Direção-Geral da Saúde, da criação de plataformas informáticas (…), não o fazer agora teria enormes custos para os utentes. Aquilo que é administrativo, urgente e inadiável deve ser feito”, afirmou Leal da Costa em declarações aos jornalistas.

Leal da Costa

O novo despacho, que determina mais um alargamento do programa dos cheques-dentista, foi mandado publicar ainda antes da rejeição do programa de Governo no parlamento.

Este alargamento do Programa Nacional de Promoção de Saúde Oral (PNSO), publicado sexta-feira em “Diário da República”, vai entrar em vigor dia 1 de março do próximo ano.

Um iceberg

A imagem de um iceberg marcou o discurso de Orlando Monteiro da Silva, com o bastonário da OMD a usar a analogia em relação ao Congresso da OMD. “Num iceberg, apenas 10% da sua massa emerge à superfície, 90% está submersa. O mesmo acontece em muitas profissões e na OMD é o mesmo. Este congresso é exemplo disso, só se vê uma parte, mas é um trabalho desenvolvido ao longo de um ano. É um dos congressos mais bem organizados da Europa e o seu sucesso passa por muito daquilo que não se vê”.

Orlando Monteiro da Silva apresentou ainda alguns dados do Barómetro 2015 da Saúde Oral, que indica que 91,9% dos utentes estão satisfeitos ou muito satisfeitos com o seu médico dentista. “Vamos usufruir desta confiança”.

Conheça os números do II Barómetro.

Nota: Ler reportagem na íntegra na próxima edição da Saúde Oral