Investigação

Verniz de flúor revela baixa eficácia, diz estudo

Um estudo de investigadores da Universidade de Washington, nos Estados Unidos da América, está a questionar a eficácia do verniz de flúor, um tratamento anticárie muito popular em crianças pela sua fácil aplicação e baixo custo.

Publicada em junho deste ano na revista científica Caries Research, a pesquisa, intitulada Fluoride varnish and dental caries in preschoolers: a systematic review and meta-analysis, reviu sistematicamente 20 ensaios clínicos com verniz de flúor em 13 países. Nestes ensaios, o verniz havia sido utilizado sozinho ou com outros tratamentos em crianças em idade pré-escolar. Os resultados foram então comparados com os resultados de um placebo, dos tratamentos habituais ou com casos em que não tinha havido tratamento.

Embora o estudo não negue por completo a eficácia do verniz de flúor – as conclusões mostram que o risco de desenvolver novas cáries diminuiu 12% entre as crianças que receberam o tratamento -, os resultados são apenas residuais.

“Por muito que queiramos que o verniz de flúor seja eficaz, a evidência atual não suporta grandes benefícios para o seu uso em crianças pequenas”, disse Joana Cunha-Cruz, professora associada do Departamento de Ciências de Saúde Oral da universidade estado-unidense, citada pelo Dental Tribune.

Outro ponto a destacar é que as concentrações de flúor variam consoante os vernizes. Por isso, a investigadora Joana Cunha-Cruz prefere recomendar, como tratamento tópico, o uso de selantes, especialmente os que contêm ionómero de vidro, e salienta que “a evidência ainda suporta o uso de pastas dentífricas com flúor, que são fáceis e low cost”.