Investigação

Traumas na infância relacionados com perda dentária na vida adulta

Traumas na infância relacionados com perda dentária na vida adulta

Os traumas experienciados na infância podem aumentar a prevalência de perda dentária na vida adulta. A conclusão é de um estudo realizado por uma investigadora da Universidade do Michigan, nos EUA, que analisou o impacto de eventos adversos na infância, como os traumas, os abusos ou o consumo de tabaco na saúde oral na vida adulta.

“É muito triste verificar que a adversidade gera adversidade e, de facto, parece mesmo que a saúde oral se baseia nas experiências adversas pelas quais passamos ao longo da vida, particularmente na infância”, afirma a autora do estudo. “No futuro, as políticas de saúde podem beneficiar de olharmos para o papel da adversidade na infância para reduzirmos a disparidade na saúde oral.”

Para chegar a esta conclusão, a investigadora analisou dados do estudo nacional Health and Retirement, de 2012, um documento que analisa as experiências de infância, a educação e ainda o estatuto socioeconómico dos inquiridos. De acordo com a autora, os resultados sugerem que os adultos mais velhos têm maior probabilidade de sofrer perdas dentárias se tiverem passado, de forma consistente, por traumas ao longo da vida, já que, segundo a autora, essas vivências acabam por impactar o comportamento adotado.

Assim, segundo o estudo, as crianças que sofreram traumas têm maior probabilidade de adotar comportamentos negativos na vida adulta, nomeadamente, consumo excessivo de bebidas alcoólicas, alimentos açucarados ou nicotina, o que contribui para a perda dentária. Além disso, de acordo com os resultados, os traumas na infância podem impactar a capacidade de aprendizagem.

Leia o estudo em detalhe aqui.