Saúde

Reclamações no setor da saúde aumentam 72%

Reclamações ao setor da saúde aumentam 72%

Entre janeiro e setembro deste ano, o Portal da Queixa recebeu cerca de 2000 reclamações dirigidas ao setor da Saúde, um aumento de 72% face a igual período em 2017. Os grupos de saúde privados foram aqueles que registaram o maior aumento de reclamações face ao período homólogo (75%), com “mau atendimento”, “cobranças indevidas” e a “remarcação de consultas” a serem apresentados como os principais motivos de queixa.

“O mau serviço prestado – tanto nas unidades de saúde do serviço público, como no serviço privado – apresenta-se como o principal motivo de reclamação da maioria dos consumidores. Dentro do setor, os serviços de saúde mais reclamados são os organismos públicos: hospitais, maternidades e centros de saúde e, por fim, os grupos de saúde privados”, revela o Portal da Queixa.

De acordo com os dados divulgados pelo Portal da Queixa, os serviços de Hospitais e Maternidades motivaram um total de 572 reclamações, mais 61% do que em 2017. Os Centros de Saúde, por sua vez, foram alvo de 345 reclamações, mais 51% do que em 2017. Já os Grupos de Saúde Privados, receberam 261 reclamações entre janeiro e setembro deste ano, mais 75% do que em igual período do ano passado.

No que aos Hospitais e Maternidades diz respeito, o “mau atendimento” foi o principal motivo de reclamação. “Segundo a análise feita às reclamações recebidas pelo Portal da Queixa, ao invés de se depararem com um atendimento cuidado, atencioso e informado, os utentes são alvo de um mau atendimento e, por vezes, não obtêm qualquer tipo de resposta, esclarecimentos, nem sequer a prestação do serviço”, revela a plataforma.

No caso dos Centros de Saúde as principais queixas são “mau atendimento, falta de atendimento telefónico ou falta de médico de família”.