investigação

Prótese dentária encontrada em laringe de paciente oito dias depois de cirurgia

Não é em vão que os médicos recomendam que se retirem próteses dentárias antes de uma cirurgia com anestesia geral. No Reino Unido, a história de um homem de 72 anos cuja dentadura ficou alojada na laringe do paciente durante oito dias já virou estudo de caso.

O homem, que tinha sido sujeito a uma operação para remover um quisto benigno na parede abdominal, acabou nas urgências seis dias após o procedimento, com queixas de sangue na boca, dificuldade em engolir e dor que o impediram mesmo de comer alimentos sólidos nos dias a seguir à cirurgia.

A situação foi relatada por Harriet Cunniffe, otorrinolaringologista na James Paget University Hospitals NHS Foundation Trust, no estudo de caso Dentures discovered in larynx 8 days after general anaesthetic, que foi publicado em meados de agosto na revista científica BMJ Case Reports, que se dedica a publicar casos médicos distintivos.

Segundo a otorrinolaringologista, o resultado dos exames ao paciente levou os médicos a acreditar que se tratava de uma infeção respiratória e um efeito secundário da entubação durante a cirurgia. Este foi mandado para casa com colutório, antibióticos e medicamentos corticosteroides, mas regressou ao hospital dois dias depois. Incapaz de deglutir até os medicamentos, o homem foi internado com suspeitas de pneumonia por aspiração, até que um exame revelou que havia um objeto semicircular preso nas suas cordas vocais.

Foi aí que o paciente revelou aos médicos que havia “perdido” a sua prótese dentária no dia em que foi internado para a sua cirurgia, resolvendo o mistério. A prótese foi removida após novo procedimento cirúrgico, mas o paciente teve de regressar várias vezes ao hospital devido a várias hemorragias – por culpa de uma artéria rasgada no local das lesões provocadas pela prótese.

Devido à sua natureza insólita, a história já foi publicada em vários meios de comunicação social de língua inglesa. Mas, segundo Harriet Cunniffe, este não é o primeiro caso documentado de inalação de uma dentadura durante a infusão da anestesia.

“Não existem diretrizes nacionais sobre como as dentaduras devem ser tratadas durante a anestesia, mas é sabido que deixar as dentaduras durante a ventilação permite uma melhor selagem durante a indução e, por isso, muitos hospitais permitem que as dentaduras só sejam removidas antes da entubação”, escreveu a médica na BMJ Case Reports, citada pelo Dental Tribune. Cunniffe acrescentou ainda que a presença de próteses dentárias deve ser mencionada e documentada antes e depois de qualquer procedimento cirúrgico.