Saúde Oral

Português vai dirigir unidade hospitalar de halitose

O médico dentista português Jonas Nunes vai dirigir o primeiro serviço hospitalar especializado em halitose no Centro Médico e Hospitalar Teknon em Barcelona – a Unidade Hospitalar do Hálito. De acordo com os responsáveis pela unidade de saúde “quando a halitose não é consequência de uma má higiene, requer uma abordagem multidisciplinar para identificar a sua causa e aplicar o tratamento mais adequado”.

Esta nova unidade especializada em problemas de hálito conta com uma equipa multidisciplinar e é dirigida pelo doutorado português e diretor do Instituto del Aliento, Jonas Nunes.

Esta unidade disponibiliza tecnologia de ponta para a identificação da halitose, como o biosniffing – ‘nariz eletrónico’ – e a cromatografia gasosa, métodos de análise que permitem a separação de gases de uma amostra de ar por adsorção seletiva.

Jonas Nunes - consulta halitose - Saúde Oral

“A halitose é uma afeção que sempre foi tratada a partir do sintoma. Com a nova consulta especializada enfrenta-se o problema a partir de uma abordagem multidisciplinar para determinar a origem concreta e encontrar uma solução efetiva”, explica Jordi Coromina, médico-otorrinolaringologista na unidade.

Até à data, a equipa dirigida pelo médico dentista Jonas Nunes diagnosticou e tratou mais de 9000 pacientes de mais de 90 países com uma taxa de sucesso de 97% através do protocolo HCP Arthyaga, baseado na multidisciplinaridade do tratamento da halitose.

“Tomámos uma decisão de nos comprometermos quando começámos a reparar no sofrimento elevado (sobretudo psicossocial) que afeta todos aqueles que sofrem do problema e que, enquanto procuravam uma solução, sentiam que a medicina se tinha esquecido deles”, refere o médico dentista português. “Essa decisão significou apostar em tecnologia de ponta complexa e dispendiosa, trabalhar arduamente ao longo de oito anos testando protocolos clínicos através de ensaios clínicos multicêntricos em Espanha e em Portugal (Instituto del Aliento/Instituto do Hálito e a Universidade de Sevilha), lidar com transtornos obsessivo-compulsivos relacionados, integrar informação muito escassa, dispersa e, em muitos casos, bastante subjetiva presente na literatura científica, escolher os passos a seguir e uma equipa multidisciplinar (estomatologia, gastroenterologia, ORL, medicina interna, endocrinologia, nefrologia, psiquiatria, entre outros) de forma eficiente. E, finalmente, atrevermo-nos a abrir portas entusiasmando um grupo de pessoas que já tinha consultado anteriormente vários profissionais de saúde, sem sucesso”, conclui.

Jonas Nunes é um investigador que se dedica em exclusivo ao tratamento do hálito humano a nível internacional, sendo autor do protocolo HCP Arthyaga para o tratamento da halitose.