Quantcast
 

Perda dentária combatida com implantes

Perda dentária combatida com implantes

Cerca de 25% da população norte-americana com mais de 60 anos não possui nenhum dos seus dentes naturais, um problema que, para além das doenças orais, deriva da falta de acessibilidade aos tratamentos dentários e que pode ser colmatado com a colocação de implantes dentários, conforme defendeu o médico dentista Stephen Campbell ao “Chicago Tribune”.

No entanto, os avanços científicos nesta área têm possibilitado o desenvolvimento de implantes, que constituem uma boa opção para pessoas que têm possibilidades financeiras para adquiri-los. Outra alternativa são as próteses removíveis que, apesar de serem mais acessíveis, apresentam algumas desvantagens, como, por exemplo, uma menor estabilidade e a diminuição do paladar.

Porém, esses mesmos avanços conduziram ao aparecimento de implantes dentários que garantem maiores benefícios àqueles que, por necessidade, precisam de adquiri-los, avançou aquele órgão de comunicação.
Em consequência, ao invés de se gastar uma fortuna para substituir todos os dentes, uma quantidade maior de implantes pode ser usada para fixar um conjunto de dentes.

 

Stephen Campbell, responsável pelo departamento de dentisteria restauradora director do Comprehensive Dental Implant Center, da Universidade de Illinois, no Chicago College of Dentistry, destaca as vantagens dos implantes dentários, nomeadamente a preservação óssea e de outros tecidos, para além de ajudar a prevenir a reabsorção.
Segundo o médico dentista, os implantes, acessíveis a um número cada vez maior de práticas dentárias, são compostos por materiais resistentes às doenças, erradicando, quase na totalidade, as gengivites, e funcionando como estruturas que protegem as gengivas da tensão a que estão sujeitas.

Também as evoluções registadas a nível da imagiologia tridimensional têm contribuído para uma taxa de sucesso crescente nestes procedimentos.
«Podemos perceber exactamente a forma que o osso apresenta mesmo antes de realizar a intervenção cirúrgica, a três dimensões, e planear exactamente onde queremos que esse implante seja inserido onde deverá ser colocada a coroa final, o que a torna menos invasiva e por vezes, até evita cortar através da gengiva».
Apesar dos implantes ainda serem um tratamento dispendioso, as companhias de seguro norte-americanas já começam a oferecer algumas coberturas.

 

Os pacientes que não possuem seguro, podem encontrar tratamentos mais acessíveis na UIC’s College of Dentistry – cujos preços são entre a 60 e 80% mais baratos do que nas clínicas privadas, dependendo do tipo de procedimento e do nível de cuidados que necessitam -, onde as cirurgias são realizadas por estudantes pós-graduados, integrados em programas especializados de Medicina Dentária, tal como prostodontia e cirurgia oral, e que contam com a supervisão de especialistas destas áreas.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?