Saúde Oral

Pacientes com epilepsia com maior risco de desenvolver cáries

Pacientes com epilepsia com maior risco de desenvolver cáries

Cerca de 50 mil pessoas sofrem de epilepsia em Portugal, a doença neurológica mais comum do mundo que pode também aumentar o risco de os pacientes desenvolverem cáries dentárias.

Quem o diz é João Braga, médico dentista do grupo Best Quality Dental Centers (BQDC), que explica que a epilepsia tem consequências para a saúde oral devido “aos efeitos secundários da medicação” para tratamento e prevenção das crises, mas também devido aos “acidentes que podem ocorrer durante uma convulsão”.

De acordo com o médico dentista, algumas dessas consequências são o “risco aumentado de cáries, aumento do volume do tecido gengival (hiperplasia gengival), sangramento gengival, sensação de boca seca, aumento da incidência de úlceras e aftas e cicatrização mais demorada”.

Para além disso, as crises destes pacientes podem causar “traumatismos faciais, lacerações da língua e lábios devido a mordeduras ou deslocação do disco da articulação temporomandibular”, o que pode levar, por exemplo, à perda dos dentes anteriores.