Saúde Oral

Organizações espanholas destacam importância dos cuidados de saúde oral em diabéticos durante a pandemia

Organizações espanholas destacam importância dos cuidados de saúde oral em diabéticos durante a pandemia

A Sociedade Espanhola de Diabetes (SED) e a Sociedade Espanhola de Periodontologia (SEPA) apontam que os cuidados de saúde oral em pessoas com diabetes são indispensáveis, principalmente durante a pandemia de covid-19.

A higiene oral adequada, bem como uma intervenção dentária rápida e eficaz para prevenir ou tratar doenças gengivais, ajuda a prevenir e controlar doenças inflamatórias, como a periodontite, que tem um impacto na saúde em geral e que devido à sua natureza sistémica altera frequentemente o controlo glicémico em pessoas com diabetes.

Assim, dada a importância de minimizar estes processos inflamatórios para este grupo de risco, as instituições sugerem que é aconselhável que diabéticos não adiem a sua visita ao dentista num artigo publicado na Gaceta Dental.

De acordo com Cristina Serrano Sánchez-Rey, médica dentista e membro do grupo de trabalho sobre “Diabetes e Doenças Periodontais”, em caso de infeção periodontal, sangramento gengival significativo, supuração ou abcessos periodontais, “é aconselhável que contactem o dentista para avaliar a necessidade de algum tipo de tratamento periodontal urgente, a fim de evitar situações que possam influenciar negativamente a sua saúde em geral”.

Por outro lado, a perita do SEPA aponta que “é também fundamental que mantenham uma alimentação saudável e equilibrada e que, na medida em que esta situação nos oferece, pratiquem exercício físico diário“.

De acordo com o grupo de trabalho, há ainda várias razões pelas quais um doente com diabetes tem de se isolar e ter mais cuidado:

1) O diabético tem um sistema imunitário comprometido, que responde inadequadamente a infeções, sejam elas bacterianas, fúngicas ou virais. No caso do coronavírus, isto facilitará a sua disseminação nos pulmões. A libertação exagerada de grandes quantidades de citocinas pró-inflamatórias, substâncias cuja missão é eliminar o vírus, podem, como efeito secundário, levar a uma situação de inflamação não só a nível pulmonar, mas também generalizada.

2) A elevação de marcadores inflamatórios no sangue será responsável pela produção de resistência à insulina e, consequentemente, por uma maior elevação dos níveis de hemoglobina glicosilada. Portanto, a covid-19 num paciente com diabetes pode aumentar significativamente o risco de descontrolo da glicemia.

3) Alguns dos tratamentos utilizados em doentes com covid-19 (por exemplo, esteroides de dose elevada) também provocam um aumento da pressão arterial e dos níveis de hemoglobina glicosilada, o que também pode levar a um descontrolo da diabetes.

4) Além disso, muitos pacientes com diabetes, especialmente os de idade mais avançada, já têm uma complicação cardiovascular, aumentando assim o risco de agravamento da doença diabética.