Quantcast
Saúde Oral

Orçamento de Estado prevê reforço da saúde oral

Saúde será liderada por ministra que defende “mais verbas” e “melhor gestão”

A ministra da saúde, Marta Temido, anunciou novas medidas previstas no debate da proposta do Orçamento do Estado 2020, entre as quais a contratualização de mais respostas à saúde oral.

Segundo a ministra, “a prioridade serão os cuidados de saúde primários, que continuarão a ser o principal aliado da modernização do SNS”, através do “reforço da sua cobertura e capacidade resolutiva, mediante a atribuição de equipa de saúde familiar a mais inscritos, a criação de 30 novas Unidades de Saúde Familiar e a contratualização de mais respostas à doença aguda e à saúde oral”.

Marta Temido apontou “a qualificação do acesso ao SNS, nas vertentes de oferta de cuidados adequados em volume, tempo e qualidade” como principal foco de ação. Para que “os cuidados de saúde primários sejam a primeira resposta do Serviço Nacional de Saúde nas vidas das pessoas, das famílias e das comunidades, eliminaremos, nas suas consultas, as taxas moderadoras”, reforçou.

Segundo avançado pela ministra, a verba destinada à contratualização com hospitais terá um aumento de 941 milhões face ao orçamento do ano anterior. “A verba afeta à contratualização com os hospitais crescerá em 900 milhões de euros e destinar-se-á, em especial, ao aumento da atividade de primeiras consultas e de cirurgias, ao apoio à telesaúde, ao incentivo à realização de consultas descentralizadas de especialidades hospitalares e à consolidação e alargamento do programa de hospitalização domiciliária”, referiu Marta Temido, citada pela publicação Dinheiro Vivo, no debate na generalidade da proposta do Orçamento do Estado 2020.