Saúde

OMS volta a alertar para o consumo excessivo de antibióticos

OMS volta a alertar para o consumo excessivo de antibióticos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu esta segunda-feira (12 de novembro) um comunicado em que volta a alertar para o consumo excessivo de antibióticos e para o aparecimento de ‘superbactérias’ mortais.

Suzanne Hill, chefe da unidade de medicamentos essenciais da OMS, citada pela Reuters, sublinha que “o consumo excessivo e o subconsumo de antibióticos são as principais causas de resistência antimicrobiana (…) Sem antibióticos eficazes e outros antimicrobianos, perderemos a nossa capacidade de tratar infeções generalizadas como pneumonia.”

O documento da OMS baseia-se em dados recolhidos em 2015 em 65 países e mostra que existem diferenças significativas na quantidade consumida diariamente por país. “Estas diferenças indicam que alguns países consomem provavelmente muitos antibióticos, enquanto outros podem não ter acesso suficiente a esses medicamentos”, diz a Organização Mundial de Saúde.

Mas não é apenas o consumo excessivo de antibióticos que preocupa a OMS. A organização também está preocupada com o consumo insuficiente deste tipo de fármacos. “A resistência pode ocorrer quando os doentes não podem pagar o tratamento completo ou apenas conseguem aceder a medicamentos de qualidade inferir ou adulterados”, diz ainda o documento.

Na Europa, o consumo médio de antibióticos chega a 18 doses definidas diárias por 1000 habitantes, com a Turquia a liderar, com 38 doses, quase cinco vezes mais que o último país do ‘ranking’, o Azerbaijão (8 doses).