Medicamentos inovadores: 300 milhões de euros destinados a projectos de I&D

Mais de 1.200 medicamentos de marca baixaram de preço

Cerca de 300 milhões de euros serão investidos em projectos de investigação ligados ao desenvolvimento de medicamentos inovadores na Europa, sendo que 123 milhões são canalizados pela Comissão Europeia (CE).

De acordo com o “Diário de Notícias”, este investimento insere-se no programa Iniciativa Sobre Medicamentos Inovadores (IMI), uma parceira público-privada entre a CE e a Indústria Farmacêutica, que calcula um investimento total de dois mil milhões de euros até 2013.
A primeira fase do concurso teve início no dia 1 de Junho e encerra no dia 15 do próximo mês. Farmacovigilância, doenças pulmonares e neurológicas, previsão de segurança, diabetes e educação e preparação de profissionais são alguns dos 18 tópicos sobre os quais as candidaturas devem incidir.
«As empresas e os investigadores vão ter de trabalhar em conjunto para participar nestes projectos», adiantou ao jornal a directora do Gabinete de promoção do 7.º Programa-Quadro I&DT (GPPQ), Virgínia Corrêa.
Associações de doentes, empresas, entidades reguladoras, grupos académicos e de ensaios clínicos e Indústria Farmacêutica terão de «se reunir em equipas e analisar a contribuição que podem dar. Ou arranjamos consórcios para os nossos investigadores integrarem, ou corremos o risco de não ser envolvidos nestes projecto», acrescentou Jorge Gonçalves, da Health Cluster Portugal (HCP).
Neste contexto, a APIFARMA, o INFARMED e o HCP acordaram trabalhar em conjunto com o GPPQ, criando uma plataforma de apoio aos investigadores e grupos interessados em formar consórcios.
Além disso, divulgar o país noutros consórcios internacionais e informação sobre os investigadores é outro dos objectivos propostos.
Em última instância, a IMI pretende tornar a Europa na potência mais competitiva no que concerne a inovação farmacêutica.