Quantcast
 

Hospital dos Lusíadas: Bactéria encerra Bloco Operatório

O Bloco Operatório do recém-inaugurado Hospital dos Lusíadas, em Lisboa, encerrou ontem, devido à detecção de elevados níveis de contaminação bacteriológica encontrados numa das salas de operação, avançou o “Expresso”.

De acordo com a notícia publicada online, as cirurgias estão interrompidas, uma vez que «todas as salas» do bloco operatório «estão encerradas devido à detecção de valores anormais de índice bacteriológico»..
Citando um dos porta-vozes dos Hospitais Privados de Portugal Saúde, que detém a propriedade da unidade dos Lusíadas, o jornal noticia que a contaminação foi descoberta numa das salas durante análises de rotina, tendo o bloco sido encerrado «por uma questão de segurança».
Em declarações ao “Correio da Manhã”, o administrador hospitalar daquela entidade, José Miguel Boquinhas, já confirmou o problema, garantido que não existe perigo de contaminação para os doentes.
Segundo o responsável, a presença de microrganismos nos blocos operatórios «acontece», daí a frequente realização de análises. A proveniência da bactéria é ainda desconhecida.
Durante o dia de hoje serão efectuadas novas análises para confirmar a destruição de bactéria, devendo o bloco abrir na sexta ou na próxima segunda-feira.
O Hospital dos Lusíadas, que abriu ao público a 19 de Maio, tem oito salas de bloco operatório e capacidade para 20 mil cirurgias anuais, segundo o portal dos Hospitais Privados de Portugal Saúde, do grupo bancário Caixa Geral de Depósitos.