Saúde Oral

Há cada vez mais portugueses que não vão ao dentista

Exército abre concurso a médico dentista

30% da população nacional diz nunca ir ao dentista ou ir apenas em caso de emergência. Quem o diz é a Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), que acaba de publicar o Barómetro de Saúde Oral relativo a 2018, mostrando que o número de portugueses que afirmam não ir ao dentista cresceu 3% face a 2017.

É no mesmo estudo que ficamos a saber que 41% dos portugueses não vai a uma consulta de medicina dentária há mais de um ano, com 53,6% a defender que não tem necessidade de ir a este tipo de consultas e 31,7% a revelar que não tem dinheiro para ir a consultas de medicina dentária. A estes somam-se ainda 11,6% de portugueses que acreditam não ter problemas de dentes.

11% da população portuguesa vive com falta de seis ou mais dentes

O Barómetro de Saúde Oral de 2018 mostra também que 70% dos portugueses têm falta de dentes naturais (excetuando os dentes do siso) e que, destes, 35% já perdeu seis ou mais dentes. Há ainda 8,2% da população portuguesa que não tem qualquer dente natural. E, entre aqueles que têm falta dentes, há 55,5% que não tem a substituir os dentes em falta.

Orlando Monteiro da Silva, bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, sublinha que “em questões de saúde oral vivemos num país a duas velocidades: quem tem possibilidade de aceder a consultas de medicina dentária percebe as vantagens das visitas regulares e mantém a regularidade. Os outros, seja por falta de recursos ou informação, olham para a saúde oral como algo secundário e o resultado está à vista: 11% da população portuguesa vive com falta de mais de seis dentes e sem substitutos, o que prejudica substancialmente a saúde oral. A ausência de tantos dentes afeta a qualidade da mastigação, condicionando a ingestão de certos alimentos e pondo em causa a saúde geral.”

Para Orlando Monteiro da Silva, “há ainda muito a fazer nesta área. É decisivo integrar mais médicos dentistas nos centros de saúde e nos hospitais e estabelecer um acordo entre o Estado e os consultórios e clínicas privadas para o financiamento de consultas de saúde oral. O que existe atualmente é curto para as necessidades dos portugueses, apenas alguma franjas mais desfavorecidas estão abrangidas pelos cuidados de saúde oral públicos, ficando de fora a grande maioria da população.”

Portugueses desconhecem existência de serviços de medicina dentária no SNS

O estudo da OMD mostra ainda que apesar da integração de serviços de medicina dentária no Serviço Nacional de Saúde, que está em curso desde 2015, 63% dos portugueses desconhece a existência de consultas de medicina dentária em alguns centros de saúde.

Assim, a OMD revela que, nos últimos 12 meses, apenas 10% dos portugueses recorreram ao hospital ou centro de saúde quando tiveram problemas de saúde oral. Entre os que vão habitualmente a consultas de medicina dentária, mais de 85% manteve a regularidade das consultas e apenas 7,2% diminui.