Quantcast
XXV Congresso OMD

Governo quer mais 13 centros de saúde com médicos dentistas em 2017

Congresso OMD bastonário Saúde Oral

Fernando Araújo, Secretário de Estado Adjunto da Saúde, revelou que o Governo quer alargar a presença de médicos dentistas em mais 13 centros de saúde, à semelhança da experiência piloto que decorreu em 2016, já para 2017. Além de Lisboa, Vale do Tejo e Algarve, está prevista a inclusão de médicos dentistas no norte, centro e Algarve.

“Queremos que todo o país tenha acesso a estas iniciativas, que esperemos que sejam as sementes desta nova mudança”, referiu Fernando Araújo. A revelação foi feita durante a cerimónia de abertura do XXV Congresso da Ordem dos Médicos Dentistas, no decorreu no passado dia 11 de novembro.

“Estamos muito empenhados em aprofundar e dinamizar esta área. Com o cheque-dentista chegámos a núcleos mais vulneráveis – crianças, grávidas e idosos. Com a integração dos médicos dentistas nos centros de saúde, para atender as populações mais vulneráveis e com dificuldades quer clínicas, quer económicas, estamos a chegar a um novo grupo de utentes”, referiu Fernando Araújo. “Alguns reconhecem que é a primeira vez que vão ao dentista. Estes projetos têm sido trabalhados em conjunto com a Ordem dos Médicos Dentistas e tenho a certeza que, com o seu aumento e dinamização pelo país, vamos conseguir mudar a face da saúde oral no SNS”.

Os tempos estão a mudar

Orlando Monteiro da Silva começou o seu discurso na cerimónia de abertura com um tema de Bob Dylan de 1963, ano em que o bastonário da OMD nasceu. “O refrão é mais atual do que nunca, talvez como o próprio nunca o tinha imaginado quando o escreveu há mais de 50 anos”.

‘Os tempos estão a mudar’ foi a frase que marcou o discurso de Orlando Monteiro da Silva, que antecipou os resultados de um novo estudo a divulgar em breve pela OMD e que fez um diagnóstico aos profissionais de medicina dentária em Portugal. O estudo pretende complementar o Barómetro da Saúde Oral, que continha a visão a vários níveis da sociedade sobre a saúde oral e sobre os médicos dentistas.

“Este estudo, ao inverso, refere a imagem que os médicos dentistas têm sobre si mesmos e sobre a profissão. Será tornado público até ao final do ano”. Questionados sobre o que gostam mais na profissão, 43,7% dos dentistas refere o facto de com o seu trabalho estarem a contribuir para melhorar a saúde oral da população.

A maior parte dos dentistas, 64,3%, exerce atividade em um ou dois consultórios ou clínicas, sendo que 37,3% exerce num único consultório e 27% em dois consultórios. Quanto à dimensão dos consultórios ou clínicas, de uma forma geral as instalações apresentam um gabinete.

São bastante menos de metade os médicos dentistas que cobram por aconselhamento ou segunda opinião ou emissão de atestados médicos ou de receitas. “Em Portugal, segundo este estudo, cada dentista realiza em média 40 consultas por semana. Surpreendente é o facto de, no que diz respeito à cobrança de um valor quando um utente falta injustificadamente a uma consulta, 89,9% dos médicos dentistas não cobra qualquer montante nestas circunstâncias”, informou Orlando Monteiro da Silva.

Nota: Na próxima edição da Saúde Oral acompanhe a reportagem sobre a XXV edição do Congresso da OMD

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?