Saúde Oral

Germes orais podem estar relacionados com cancro do pâncreas

Um estudo recente levantou a hipótese: poderá existir uma ligação entre determinados germes orais e o risco de desenvolvimento de cancro do pâncreas. De acordo com o estudo norte-americano, foram identificados dois tipos de bactérias que estão associados com um maior risco de desenvolver cancro pancreático e que têm sido associados a doenças como a periodontite e a inflamação das gengivas.

Jiyoung Ahn, investigadora responsável pelo estudo, sublinha que apesar de ter sido descoberta esta associação, não é possível determinar se estas bactérias podem ser causadoras do cancro, contudo uma das estirpes de bactéria oral analisada foi associada com um risco 59% superior de desenvolvimento de cancro pancreático em pessoas que a possuíam, enquanto a outra estirpe analisada foi relacionada com um risco 119% superior de desenvolvimento da doença.

De acordo com a investigadora, estes números refletem o risco de uma pessoa desenvolver cancro do pâncreas em comparação com uma pessoa que não possui estas bactérias orais. O cancro do pâncreas tem uma taxa de mortalidade bastante elevada. Segundo o U.S. National Cancer Institute (NCI), cerca de 46 mil norte-americanos são diagnosticados com a doença todos os anos.

De acordo com os investigadores responsáveis pelo estudo, esta nova descoberta pode ajudar a desenvolver novas formas de detetar a doença e, consequentemente, diminuir a taxa de mortalidade associada à doença.