Investigação

Flúor pode afetar negativamente a função renal e hepática em adolescentes

O flúor presente na água potável pode ter efeitos negativos na saúde de adolescentes, afetando, por exemplo, a sua função hepática e renal, provocando disfunções na tiroide e até problemas ósseos e dentários, diz um estudo agora publicado por investigadores do Hospital Mount Sinai, em Nova Iorque.

Os investigadores analisaram os efeitos dos níveis de flúor presentes na água potável em adolescentes que participaram no National Health and Nutrition Examination Survey, um conjunto de estudos que analisam o estado de saúde e bem-estar da população dos Estados Unidos da América.

De acordo com os resultados, agora divulgados, a exposição ao flúor pode contribuir para várias mudanças no funcionamento dos rins e do fígado dos adolescentes. Nos EUA, 74% do sistema público de água contém flúor adicionado para benefícios dentários, contudo, o estudo sugere que o flúor pode não ser assim tão benéfico no caso de adolescentes com função renal ou hepática mais fraca, que têm maior probabilidade de absorver maiores níveis de flúor no seu organismo.

A exposição ao flúor no caso de animais e adultos já foi várias vezes associada a toxicidade no fígado e nos rins. Ainda assim, a fluorização da água é bastante comum devido aos seus benefícios para a saúde oral. Um estudo publicado em 2015, na revista científica Journal of Community Dentistry and Oral Epidemiology, revelava inclusive que a fluorização da água pode ajudar a reduzir a fatura dos sistemas de saúde públicos, indicando que aqueles que vivem em zonas onde os níveis de flúor recomendados já são adicionados à água têm 55% menos admissões nos hospitais para extração de dentes do que aqueles que residem noutras áreas.