Saúde

Facebook aperta cerco às fake news sobre saúde

Facebook aperta cerco às fake news sobre saúde

A rede social Facebook tem vindo a reforçar a sua luta contra as notícias falsas e agora prepara-se para estender as medidas às fake news sobre saúde. De acordo com o gestor de produto da rede social, Travis Yeh, o objetivo é acabar com a desinformação que pode ter impactos negativos na saúde dos utilizadores.

“Sabemos que as pessoas não gostam de publicações que sejam sensacionalistas e repetitivas e conteúdo de saúde enganoso é particularmente mau para a nossa comunidade”, defendeu recentemente num post publicado no blogue corporativo do Facebook.

O responsável revela, ainda, que a rede social fez, no último mês, duas atualizações para reduzir a visibilidade dos posts sensacionalistas sobre saúde e com reivindicações que não correspondem à realidade. Em causa estão, por exemplo, posts que promovam medicação que afirme ajudar a perder peso.

“Lidámos com isto de uma forma semelhante aquela com que lidámos, previamente, com os conteúdos de pouca qualidade e com clickbait: ao identificar frases que eram frequentemente utilizadas neste tipo de posts para prever que posts podem incluir conteúdo sensacionalista sobre saúde e ao colocá-las mais abaixo no feed de notícias”, diz o Facebook.

Um estudo publicado em 2017 pela Comissão de Tecnologias de Informação em Saúde revelava já que cerca de 90% dos portugueses utilizam a Internet com frequência para pesquisar informações sobre saúde. Ainda assim, apesar de a Internet ser cada vez mais utilizada como fonte de informação sobre saúde, apenas 20% dos inquiridos consideram a informação obtida como credível.