Saúde Oral

Extrações dentárias completas em crianças preocupam responsáveis de saúde do Reino Unido

Extrações dentárias completas em crianças preocupam responsáveis de saúde do Reino Unido

Nos últimos cinco anos, no Reino Unido, 322 crianças com menos de dez anos foram submetidas a extrações dentárias completas. Os dados são do Serviço Nacional de Saúde britânico e estão a preocupar os profissionais de saúde, que pedem às autoridades nacionais que criem medidas para garantam a prevenção de doenças orais.

Os números divulgados pelo Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido mostram que 75 crianças foram submetidas a extrações dentárias completas entre 2017e 2018, mais 54 crianças do que no período entre 2012 e 2013.

De acordo com a publicação Dental Tribune, a British Dental Association (BDA) já se pronunciou, referindo que as extrações dentárias completas são um sinal de “uma epidemia de cáries dentárias em crianças”, sobretudo nas crianças provenientes de meios em situação de maior vulnerabilidade social.

Mick Armstrong, Chair da BDA, sublinha que “as cáries dentárias são completamente preveníveis, mas mantém-se a principal razão de admissão de crianças nas clínicas dentárias. Infelizmente, estes são os exemplos mais extremos de uma epidemia que está a custar milhões ao nosso Serviço Nacional de Saúde. O imposto sobre os açúcares é um progresso, mas não deve marcar o fim do interesse do Governo. As crianças do Reino Unido merecem um verdadeiro esforço nacional para acabar com as cáries dentárias”.

Governo britânico rejeita proibição de bebidas energéticas a crianças

Os responsáveis do Serviço Nacional de Saúde já vieram pronunciar-se, referindo que “os alimentos e bebidas açucaradas estão a impulsionar esta epidemia de extrações dentárias”. Contudo, depois de um período de consulta pública que se iniciou em agosto deste ano, o Governo do Reino Unido decidiu não proibir a venda de bebidas energéticas a crianças com menos de 16 anos, uma medida que estava em cima da mesa para integrar um conjunto de medidas de prevenção de doenças orais.

Um estudo publicado pelo ‘Centre for Translational Research in Public Health’, do Reino Unido, tinha revelado no início do ano que as crianças do Reino Unido com menos de 16 anos são os maiores consumidores de bebidas energéticas com esta idade em toda a Europa.