Quantcast
 

Expo-Dentária 2009: Feira das novidades

Expo-Dentária 2009: Feira das novidades

Realizada em simultâneo com o congresso da OMD, a Expo-Dentária 2009 bateu recordes e foi «a mais visitada de sempre». Os cerca de seis mil visitantes aproveitaram os três dias para sentir «o pulsar» do sector, e entre brindes e inúmeras iniciativas foram descobertas as últimas inovações ao serviço da medicina dentária.

As 108 empresas expositoras presentes confirmaram o «êxito» da edição deste ano da Expo-Dentária, congratulando-se pela aposta ganha em termos de visibilidade e pelo aumento da carteira de clientes. A Expo-Dentária 2009 foi mesmo a edição mais visitada de sempre, com um total de 6080 visitantes, que passaram pelos 283 stands.

O modelo da Expo-Dentária associada ao congresso da Ordem é mesmo elogiado, tanto pelos expositores como pela organização, que Natália Lucas Nunes entende «que a reunião de esforços é benéfica para todos os envolvidos na área da medicina dentária. O acesso ao programa científico de elevada qualidade e o contacto com as novidades da Indústria concentrados em três dias permite optimizar o tempo e é uma forma mais simpática de toda a classe se actualizar profissionalmente». Além disso, a presidente do congresso entende que este formato proporciona também «um saudável convívio entre todas as categorias de profissionais de saúde oral e todos os agentes da Indústria».

Também Luísa Ferreira, directora de Marketing das clínicas Vital Dent considera vantajosa esta combinação de eventos, pois entende que «assim consegue-se uma maior eficácia na gestão do tempo sempre tão escasso para este tipo de profissionais, concentrando os saberes com o melhor que os players deste sector têm para oferecer».
Já Marta Gonçalves Monteiro, directora da divisão Médico-Dentária da Lasermaq, diz que «sem dúvida que o motor para o sucesso ou insucesso da Expo-Dentária é o Congresso» ao que a direcção da Ravagnani Dental acrescenta o facto de existir «sempre uma presença assegurada na exposição, tornando-se mais agradável para quem expõem e para quem visita».

«Difícil escolher»

Também os visitantes elogiaram o modelo adoptado, caso de Susana Freire, recém-licenciada em Medicina Dentária, que aproveitou não só para «aprender mais umas coisas», mas também para «conhecer as novidades». Opinião partilhada por Maria Inês Leal, de Setúbal, que conseguiu «comprar algumas coisas de que precisava na feira» e que até “lamenta” o facto de o programa ser «tão bom» o que torna difícil a escolha da palestra a assistir e dos horários para a visita da Expo-Dentária.

Balanço positivo era igualmente palavra de ordem entre os visitantes que consideraram a feira muito «dinâmica» e «inovadora», com «imensas novidades». Antonino Veiga, de Cabo Verde, diz mesmo que o congresso «vem ficando melhor a cada ano que passa» e que a feira tem tanto para oferecer que «é necessário filtrar e optar apenas pelas coisas que interessam realmente».

Evento social

Eduardo Martins, médico dentista a exercer em Tomar, é que achou a feira «um pouco mais fraca», porque em seu entender «só pensam na área da implantologia». Opinião a que o colega Wellington Nader responde dizendo que «é a tendência actual». Contudo, Eduardo Martins gostava de ver uma «feira mais abrangente, mais virada para outras especialidades e não apenas o que vende».

Apesar disso, o médico dentista diz que este é um evento com uma importante vertente social, uma vez que «os dentistas trabalham muito fechados nos seus gabinetes e aqui têm oportunidade de (re)encontrar colegas e trocar ideias».

Wellington Nader não podia estar mais de acordo, até porque considera que este não é «apenas um evento científico para pulsar conhecimento, mas também uma forma de sair do casulo e de trocar experiências com os colegas».

Quer seja para estabelecer novos contactos ou para reforço dos laços comerciais com os clientes, o que interessa é que no final haja um reconhecimento das marcas expostas. Daí que a aposta em actividades inovadoras tenha sido forte e as inúmeras iniciativas coloriram o ambiente da feira, sempre com o intuito de ser o mais original possível e captar a atenção dos visitantes. A animação foi uma constante ao longo dos três dias da feira, e entre amostras e brindes alusivos aos produtos expostos, os 6080 visitantes procuraram sobretudo novas e inovadoras soluções para as suas clínicas dentárias.

Bons negócios

Natália Lucas Nunes afirma que, na área comercial, «a satisfação revelada por parte dos expositores também foi muito elevada». Em seu entender, esta foi «uma feira dinâmica, com o maior número de visitantes onde se estabeleceram muitos contactos e a própria imagem dos stands também contribuiu para o sucesso do evento».
Para a presidente do congresso, «nota-se uma preocupação e um investimento crescentes no espaço da feira que permite tornar a Expo-Dentária o local ideal para promover bons negócios. Os coffee-breaks servidos durante os intervalos dentro da própria feira também incentivam os contactos comerciais», avalia.

Luísa Ferreira, das clínicas Vital Dent, considera mesmo imprescindível estar presente no que classifica como «o maior encontro anual dos profissionais da saúde oral». Segundo conta, é «uma óptima oportunidade para passarmos a nossa mensagem e filosofia única no mercado e para promovermos o facto de sermos o maior empregador de dentistas neste momento em Portugal».

Para a Lasermaq a Expo-Dentária é mesmo «um excelente veículo de comunicação com os médicos dentistas». Até porque como elucida Marta Gonçalves Monteiro os produtos comercializados pela marca «constituem um novidade no sector Médico-Dentário: os laser», pelo que as campanhas estudadas para o evento «passaram principalmente pelas propostas de facilidades de pagamento».

Por seu turno, a Ravagnani Dental apostou sobretudo na divulgação e apresentação de novidades, dando a conhecer a todos os profissionais do sector o que vêem como a sua mais-valia em relação à concorrência, «o serviço de assistência técnica, em virtude de possuirmos três lojas em Portugal (Maia, Almada e Algarve) com técnico exclusivo da empresa».

«Investimento compensador»

Para muitas das empresas presentes a participação na Expo-Dentária constitui um avultado investimento.
Como assume a responsável da Lasermaq, «dentro no nosso plano de marketing anual é o evento que implica maior investimento. Principalmente porque o custo do espaço, comparativamente a outras iniciativas neste sector ou noutros sectores como o industrial, tem um valor muito elevado». Porém, na hora de apostar na feira, todos são unânimes em afirmar a necessidade de estar presentes. Quer seja pelo «bom serviço prestado aos nossos clientes, que nos poderão sempre encontrar, quer para angariar novos clientes», como explica Marta Gonçalves Monteiro.
E sem querer adiantar valores investimento, Luísa Ferreira frisa que «mais importante do que o investimento que fazemos todos os anos, é a certeza de que sempre estaremos junto dos excelentes profissionais do sector, custe o que custar».

Contudo, as mais-valias foram imediatas, através «das inúmeras inscrições feitas no local de médicos dentistas com vontade de trabalhar na nossa rede de mais de 30 clínicas em todo o território nacional», conta a responsável das clínicas Vital Dent.

Também a Lasermaq assume ter «obtido retorno, por isso consideramos um investimento e não apenas um custo» e a Ravagnani Dental confessa mesmo ter vendido dez clínicas dentárias, o que avaliam como «bastante razoável para a situação actual».

Sugestões de melhoria

No final, com um balanço «extremamente positivo», dado que o evento foi «muito bom», quer a «nível de afluência de público e a nível de organização», ficou a certeza de muitos expositores de que «para o ano lá estaremos!»
Porém, alguns expositores lamentaram o facto de não poderem assistir às conferências científicas. Alguns visitantes também gostariam de ver a feira mais “unida”, dado que a estrutura física do Centro de Congressos de Lisboa cria uma divisão em sectores e há algumas dificuldades de acesso.