Quantcast
Investigação

Estudo revela que 45% dos infetados com covid-19 têm desordem do paladar

CDS propõe reforço de centro de testes de Covid-19 com veterinários e dentistas

A desordem do paladar é a manifestação oral mais comum em pacientes com o novo coronavírus, encontrando-se presente em 45% dos infetados, revelou uma equipa de investigadores da Faculdade de Ciências da Saúde (FS) da Universidade de Brasília, no Brasil. Os cientistas estão a investigar as manifestações orais mais comuns em pacientes com covid-19.

Como parte da pesquisa, os investigadores descobriram também que alguns pacientes apresentavam lesões na mucosa. Ainda assim, a equipa não encontrou evidências que pudessem ligar as lesões à infeção por covid-19. Por isso, sugeriu-se que essas manifestações se apresentam por coinfecções, que podem ser causadas por queda na imunidade, condições de hospitalização ou até mesmo reações adversas aos medicamentos utilizados no tratamento da doença.

“As lesões na mucosa oral são mais propensas a apresentarem-se como coinfecções e manifestações secundárias, com múltiplos aspetos clínicos”, garante a coordenadora do estudo, Eliete Guerra.

A coordenadora mostra-se, de resto, positiva quanto ao desenvolvimento da investigação. “A expectativa é que os resultados gerem a produção de conhecimentos científicos, tecnológicos e de inovação, com vistas especialmente à produção e ao desenvolvimento de tecnologia baseada em evidência para o diagnóstico da covid-19, considerando também a importância de medidas de fácil acesso e baixo custo, com possível aplicabilidade no Sistema Único de Saúde.”

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?