Investigação

Estudo estabelece correlação entre refluxo gastroesofágico e disfunção temporomandibular

Uma equipa de investigadores de dois hospitais chineses descobriu que pode haver uma correlação entre a disfunção temporomandibular e o refluxo gastroesofágico.

As conclusões foram reveladas no estudo Associations among gastroesophageal reflux disease, mental orders, sleep and chronic temporomandibular disorder: A case-control study, que foi publicado em 19 de agosto na revista científica Canadian Medical Association Journal.

A pesquisa revela ainda que a anxiedade e a má qualidade de sono contribuem para esta correlação entre refluxo e disfunção temporomandibular.

A equipa de investigadores internacionais avaliou dados de mais de 1 500 pacientes com idades entre os 18 e os 70 anos com disfunção temporomandibular crónica. O objetivo era, exatamente, estabelecer uma relação entre esta disfunção e o refluxo gastroesofágico, e perceber se a ansiedade e depressão influenciavam esta relação.

“Há evidências que provam a natureza bidirecional das associações entre estas comorbidades”, disse Jihua Chen, um dos coautores do estudo e investigador da Air Force Military Medical University, em Xian, citado pelo Dental Tribune.

Entre 40% a 75% da população mundial pode padecer de algum tipo de transtorno da articulação temporomandibular ao longo da sua vida. De acordo com um estudo citado pela publicação Infosalus, as mulheres entre os 15 e os 45 anos são as mais suscetíveis a este tipo de disfunções.

Pode consultar o estudo dos hospitais chineses na íntegra aqui.