Estados Unidos: Estudantes de Medicina Dentária trabalham comunicação com pacientes virtuais

Estados Unidos: Estudantes de Medicina Dentária trabalham comunicação com pacientes virtuais

Um novo projecto de investigação da Case Western Reserve University School of Dental Medicine, em Ohio, e do departamento de Ciências da Comunicação do College of Arts and Sciences visa ensinar os estudantes de Medicina Dentária a trabalhar as capacidades de comunicação com pacientes virtuais.

Segundo o “Medical News Today”, este projecto possui grande potencial para revolucionar a formação em Medicina Dentária ao modificar a forma como são efectuados os testes de análise das capacidades comunicativas com os pacientes.
Kristin Z. Victoroff, do departamento de Medicina Dentária da comunidade de dentisteria irá dirigir o projecto” Innovative Dental Assessment Research and Development (IDEA) Grant”, com a duração de três anos, da American Dental Association’s Joint Comission on National Dental Examinations.
A responsável irá desenvolver cenários de comunicação com pacientes através de uma educação simulada e testar a sua eficácia na formação pré-clinica envolvendo estudantes.
«Mais faculdades de Medicina Dentária estão a recorrer à simulação como um instrumento de ensino», contou Victoroff, que colabora com Roma Jasenevicius e Catherine Demko da Faculdade de Medicina Dentária neste projecto.
Desde 2001 que o Case Western Reserve Dental School tem estado na vanguarda na utilização de simulações aplicadas ao ensino através de uma tecnologia denominada DentSim – um sistema de preparação computadorizado e de simulação que utiliza um paciente virtual.
A partir desta tecnologia, segundo Victoroff, ao serem criadas experiências simuladas, a atenção é direccionada para a comunicação com os pacientes.
Victoroff contou com o apoio de especialistas em realidade virtual e em distúrbios comunicacionais da Art and Sciences, nomeadamente Stacy William, que dirige o Virtual Immersion Center for Simulation Research (VICSR) e Kyra Rothenberg, director do health communications minor.
Eles sugeriram diferentes abordagens para os exercícios de comunicação simulada – interacção com actores reais, com pacientes virtuais e com avatares no Second Life, tendoVictoroff manifestado interesse nas duas últimas opções, pois considera que actores e pacientes reais apresentam limitações no que concerne a questões éticas e a desafios logísticos.
De acordo com Victoroff, caso estas experiências sejam bem sucedidas poderão fornecer uma forma melhor de avaliar as capacidades comunicativas de um estudante, em oposição às actuais questões de escolha múltipla dos exames nacionais requeridos para exercer a profissão.
O projecto de investigação foca-se no desenvolvimento de cenários que testam as capacidades dos estudantes em informar-se sobre o historial clínico dos pacientes, sensibilizar para questões ligadas à educação em saúde oral, como aconselhamento sobre cessação tabágica, mas também explicar procedimentos, expor as diversas opções de tratamento, obter um consentimento informado e, ainda, saber lidar com situações que podem ser delicadas a nível ético, tratando-se estas de competências definidas pela American Dental Education Association.