Investigação

Esta câmara consegue ‘cheirar’ doenças

O mau hálito pode ser indicador de vários problemas de saúde oral, mas, pela primeira vez, foi criado no Japão um sistema de imagiologia altamente sensível a gases – curiosamente apelidado de sniff-cam – que consegue detetar biomarcadores de doenças, mesmo quando a sua presença é muito residual.

Esta nova versão é uma evolução da sniff-cam anterior fabricada pelos investigadores japoneses da Universidade Médica e Dentária de Tóquio, que já conseguia assinalar compostos orgânicos voláteis. Agora, o sistema deteta compostos associados a patologias, como a diabetes, cancro do pulmão e doença de Parkinson, explica o estudo Ultrasensitive sniff-cam for biofluorometric-imaging of breath ethanol caused by metabolismo of intestinal flora, que foi publicado em julho, na publicação científica Analytical Chemistry.

Em declarações à Dental Tribune International, Kohji Mitsubayashi, investigador principal, revelou que a sua equipa desenvolveu três versões de sistemas de imagiologia de gases e que a versão mais recente combina um anel de luz ultravioleta, filtros UV e uma câmara.

Para testar a eficácia do dispositivo, os investigadores trabalharam com sujeitos do sexo masculino que não tinham consumido comida ou bebidas durante um determinado período. O sistema conseguiu detetar níveis muito residuais de etanol no hálito dos participantes, o que evidenciou a sua capacidade para detetar um espetro maior de compostos orgânicos voláteis comparativamente a outros dispositivos. Os investigadores esperam agora poder usar esta tecnologia em estudos futuros sobre a relação entre patologias e o mau hálito.

Pode ler o estudo na íntegra aqui.