ERS detecta 204 infracções em hospitais e clínicas privadas

ERS detecta 204 infracções em hospitais e clínicas privadas

A Entidade Reguladora da Saúde (ERS) revelou que, na primeira metade deste ano, foram detectadas 204 infracções em hospitais e clínicas do sector privado, nas mais de mil acções de fiscalização realizadas por todo o país.

A falta ou má gestão do livro de reclamações e irregularidades na afixação ou visibilidade das tabelas de preços foram os principais problemas, segundo a entidade reguladora, informa o “Jornal de Notícias”.
A fiscalização dirigiu-se apenas a entidades privadas, com ou sem fins lucrativos, num novo tipo de acção sistemática de controlo que teve início no final do ano passado.
A esta fiscalização de rotina, prevista no plano anual de actividades da entidade, com uma média de dez acções diárias, somam-se mais de uma centena de acções baseadas em denúncias ou reclamações dos cidadãos.
«A maior parte das denúncias que motivaram fiscalizações estavam relacionadas com as condições das instalações», revelou o presidente ERS, Álvaro Almeida.
O total de fiscalizações permitiu detectar, também, situações de falta de registo na entidade de prestadores de cuidados de saúde, que já foram solucionados ou estão em fase de resolução.
O presidente da ERS observou ainda que parte das situações irregulares, como «casos de má colocação dos letreiros», foram resolvidas na altura.
Apesar de, apenas nos primeiros seis meses do ano, já ter sido ultrapassado o número de acções planeadas para 2008, Álvaro Almeida assegurou que «as inspecções vão continuar ao mesmo ritmo a partir de Setembro».