Workflow digital

“Em geral, os médicos dentistas estão muito recetivos à introdução de todas as tecnologias que sejam diferenciadoras”

A Montellano organizou, no passado dia 8 de junho, em Lisboa, o seu 1.º Workshop Workflow Digital com o apoio da Carestream Dental. Na ação de formação, Giulano Fragola teve a oportunidade de mostrar a 25 médicos dentistas e técnicos de prótese dentária os benefícios da impressão digital e as principais aplicações do scanner intraoral na prática odontológica, bem como as aplicações desta tecnologia no fluxo de trabalho de uma clínica. A SAÚDE ORAL falou com Vítor Ferro, diretor de marketing da Montellano, sobre a iniciativa.

O que é que levou a Montellano a organizar este 1.º Workshop de Workflow Digital?

Vítor Ferro: A ideia surgiu durante a visita da equipa técnica e comercial da Montellano à International Dental Show (IDS), em Colónia, no passado mês de março. Após constatarmos que as novas tecnologias não são mais o futuro, mas sim o presente, sentimos que tínhamos de, como sempre fizemos ao longo destes últimos 45 anos, estar na linha da frente, apresentar ao mercado as potencialidades das novas tecnologias CAD/CAM ao serviço da medicina dentaria e dar a conhecer ao profissionais de saúde oral, sejam eles médicos dentistas ou técnicos de prótese dentária, as melhores soluções que a indústria do setor tem para lhes oferecer. Como parceiros de longa data, desafiámos a Carestream Dental a dar-nos o apoio para a realização do evento e começamos logo ali a tratar dos pormenores para a realização deste primeiro workshop.

Consideram que os médicos dentistas estão recetivos à introdução de tecnologia ou ainda têm dúvidas?

VF: Em geral, os médicos dentistas estão muito recetivos à introdução de todas as tecnologias que sejam diferenciadoras e um valor acrescentado ao seu diagnóstico, ao diálogo com o paciente, à melhoria da prestação de cuidados de saúde e à poupança de tempo na sua prática clínica. A resistência à mudança e as dúvidas são um processo natural, porque acreditam que existe uma longa e complexa curva de aprendizagem, mas, após o contacto com a tecnologia e com o know-how dos nossos colaboradores, as dúvidas dissipam-se e a adaptação torna-se fácil e rápida.

Quantos médicos dentistas estiveram presentes neste workshop?

VF: Foram 25 os participantes que estiveram presentes no evento, a sua maioria médicos dentistas, mas existiu também a participação de alguns técnicos de prótese dentária, o que faz todo o sentido, dado que a tecnologia permite e melhora a ligação com os laboratórios de prótese.

Porque é que resolveram ter uma vertente hands-on?

VF: A vertente hands-on é fundamental para quem pretende desmistificar a complexidade da utilização dos sistemas a quem pensa aderir às novas tecnologias, e é importante para quem já as utiliza, porque lhes permite obter pequenas dicas que melhoram o trabalho no dia a dia.

Qual é que foi a resposta dos médicos dentistas presentes a estes aparelhos e aos conhecimentos transmitidos?

VF: A opinião geral foi muito positiva porque aproveitaram a presença do doutor Fragola para conhecerem, de forma clara e direta, os verdadeiros benefícios da impressão digital nas várias vertentes clínicas, as principais aplicações do scanner intraoral na prática odontológica diária, desde a ortodontia à implantologia, assim como as vantagens das aplicações desta tecnologia no fluxo de trabalho de uma clínica.