Investigação

Doença periodontal pode piorar declínio cognitivo em pacientes com Alzheimer

Um estudo recentemente publicado sugere que a doença periodontal pode acelerar o declínio cognitivo dos pacientes com Alzheimer. O estudo do Dental Institute do King’s College London, no Reino Unido, mostra que os pacientes com Alzheimer que também sofrem de doença periodontal possuem taxas de declínio cognitivo mais altas.

De acordo com dados do Centers for Disease Control and Prevention (CDC), dos EUA, cerca de metade dos adultos dos Estados Unidos da América possuem doenças na gengiva, com as taxas de incidência da doença a aumentarem com a idade.

No caso das pessoas com Alzheimer, a elevada incidência das doenças da gengiva pode estar relacionada com o facto de estas pessoas deixarem de realizar alguns cuidados de higiene oral à medida que a doença vai progredindo.

Esta não é a primeira vez que um estudo associa as duas doenças. Uma investigação publicada em 2013 já tinha conseguido identificar a bactéria Porphyromonas gingivalis, responsável pela doença periodontal, no cérebro de pessoas com Alzheimer.

A investigação agora publicada, por sua vez, procurou analisar o declínio cognitivo das pessoas com Alzheimer e a sua ligação com a doença periodontal, seguindo 52 pessoas durante seis meses e avaliando a sua saúde oral.

Os resultados revelaram que os participantes com doença periodontal viram as suas funções cognitivas deteriorar mais rapidamente do que no caso dos pacientes sem doenças da gengiva. Além disso, os participantes com doença periodontal revelaram também um aumento nos níveis de marcadores pro-inflamatórios no sangue.