Médicos Dentistas

Dentista americano acusado de provocar incêndio na boca de paciente

Um dentista americano provocou um incêndio na boca de uma menina de cinco anos durante um procedimento de rotina. Os pais da criança moveram uma ação judicial contra o dentista e requerem uma indeminização de 15 mil dólares em danos, referindo que alguns dos ferimentos poderão ser “permanentes e incapacitantes”.

Segundo avançado pelo Las Vegas Review-Journal, a ação judicial alega que a paciente foi levada à Just for Kids Dentistry and Orthodontics, em janeiro de 2019, para restauração com coroas. O médico dentista Deep Karan Dhillon, proprietário da clínica, colocou-a sob anestesia geral para o procedimento e utilizou uma broca de diamante para preparar os dentes.

O instrumento produziu uma faísca que fez com que uma gaze colocada na garganta da criança pegasse fogo, tendo ardido durante cerca de um ou dois segundos, alega a ação judicial. A paciente foi, posteriormente, reencaminhada para o Centro Médico da Universidade do Sul de Nevada, onde ficou hospitalizada durante quatro dias.

“A minha opinião é que a Just for Kids violou o padrão de segurança ao não proteger adequadamente as vias aéreas e ao cometer uma série de atos que criaram uma situação verdadeiramente ‘incendiária'”, escreveu Donald Testa, um cirurgião oral e maxilofacial da Califórnia, numa declaração apresentada na ação judicial, citada pela publicação Dental Tribune International.

Jonathan Shenkin, porta-voz da Associação Dentária Americana e professor clínico associado da Escola de Medicina Dentária Henry M. Goldman da Universidade de Boston, classificou o acontecimento como um “acidente estranho”.

“Este procedimento é realizado milhares de vezes por dentistas pediátricos, e nunca ouvi falar de algo assim ou nunca soube que tal tivesse acontecido antes”, disse Shenkin.