Estudo

Cascas de ovo podem ser utilizadas para melhorar regeneração óssea

Investigadores da Universidade de Massachusetts Lowell, nos Estados Unidos da América, descobriram recentemente um novo uso para as cascas de ovo – o de material para enxertos ósseos, permitindo a regeneração de cartilagem, dentes e tendões.

O estudo, intitulado Eggshell particle-reinforced hydrogels for bone tissue engineering: an orthogonal approach e liderado por Gulden Camci-Unal, do departamento de Engenharia Química da universidade, foi publicado este mês na revista científica Biomaterials Science.

A pesquisa revela que as cascas de ovo, que são compostas maioritariamente por cristais de carbonato de cálcio, podem ser utilizadas para criar tecido ósseo. Como? Os investigadores utilizaram partículas microscópicas de cascas de ovo para reforçar hidrogéis à base de gelatina, que serviram depois como base para o crescimento de osteoblastos.

“Este é o primeiro estudo que usa partículas de casca de ovo numa matriz de hidrogel para reparar osso”, disse a líder da investigação. Camci-Unal acrescentou ainda que esta técnica pode ser aplicada no tratamento e reparação de ossos em pacientes que sofreram lesões próprias do envelhecimento ou decorrentes de cancro e outras doenças, mas também para gerar cartilagem, dentes e tendões.

“Já efetuámos um registo da patente mais no início do ano. Estamos muito entusiasmados com os resultados, e antevemos muitas aplicações importantes para a nossa invenção”, disse a investigadora, citada pela publicação Dental Tribune.

A pesquisa de novos materiais que possam favorecer a regeneração óssea tem sido alvo de estudos recentes da parte de várias universidades.

O estudo pode ser lido na íntegra aqui.