Quantcast
Investigação

Bruxismo pode ser genético, diz estudo

bruxismo Saúde Oral

Quem o diz é um estudo recentemente publicado por investigadores do Chile: algumas formas de bruxismo podem estar relacionadas com fatores genéticos. De acordo com os autores do estudo, o bruxismo durante o sono é duas vezes mais comuns em pessoas com uma mutação no gene recetor de serotonina.

Alguns estudos realizados anteriormente já haviam sugerido que os neurotransmissores do sistema nervoso central e os seus genes poderiam estar na génese do bruxismo. Mas o estudo agora publicado por investigadores da Universidade de Frontier (UFRO), no Chile, avaliou vários genes relacionados com a serotonina em 130 pacientes com alguma forma de bruxismo. 61 desses pacientes sofriam de bruxismo diurno, 26 sofriam de bruxismo durante o sono e 43 sofriam das duas formas da doença.

Quando se comparou as frequências genéticas de pacientes com bruxismo com pacientes saudáveis, os resultados mostraram que os pacientes com bruxismo tinham uma diferença significativa na codificação do gene 5-HT2A, que pertence à família dos genes recetores de serotonina. De acordo com os investigadores, os resultados sugerem que os polimorfismos nas vias serotonérgicas estão relacionadas com o bruxismo durante o sono.

O bruxismo afeta cerca de um em cada cinco adultos e mais de mil milhões de pessoas em todo o mundo, causando danos severos na dentição. Até agora, a doença tem vindo a ser associada a condições como problemas mentais, ansiedade e stress.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?