Medicina Dentária

Barcelona vai ter dentista municipal com preços 40% inferiores ao mercado

Barcelona vai ter dentista municipal com preços 40% inferiores ao mercado

Barcelona vai ter o primeiro dentista municipal de toda a Espanha. O projeto é da presidente da Câmara de Barcelona e ativista Ada Colau e surge depois de um inquérito municipal ter revelado que 12% da população de Barcelona não vai ao dentista por falta de recursos financeiros.

A Câmara Municipal de Barcelona pretende, assim, atender a partir deste ano e no prazo de dois anos cerca de 36 mil pessoas com preços 40% inferiores aos praticados no mercado.

De acordo com a presidente da autarquia da Catalunha, esta iniciativa representa um passo em frente na política social do município que tem como uma das suas prioridades a saúde oral da população.

Este é apenas mais um dos serviços prestados pelo município à sua população em situação de vulnerabilidade social e é o primeiro dentista municipal de toda a Espanha.

As reações não se fizeram esperar: tanto Óscar Castro, presidente do Conselho Geral de Dentistas, como o Colégio Oficial de Dentistas e Estomatologistas da Catalunha (COEC) já se vieram pronunciar contra a proposta, que poderá entrar em funcionamento em meados de 2020 e que visa atender cerca de 36 mil pessoas por ano num centro de atendimento por 23 profissionais.

Para Óscar Castro esta é uma medida de caráter eleitoral. “O que nos impressiona é que exista uma Clínica Dentária de Solidariedade, onde nem um euro é cobrado a pessoas francamente necessitadas de serviços odontológicos, e por causa de suas condições socioeconómicas não podem ir a uma consulta em condições normais. Por que não dedicar esse orçamento a rendas sociais, melhoria de vias urbanas, etc., que é o que um Conselho Municipal tem que fazer? Parece incrível que a presidente da câmara de Barcelona não tenha aprendido a lição que o iDental nos deu, onde há milhares e milhares de cidadãos catalães afetados, precisamente por empresas que nada têm a ver com a odontologia, começaram a explorá-la”.

O Colégio Oficial de Dentistas e Estomatologistas da Catalunha (COEC) quis mostrar, através de uma declaração, o seu “firme e total desacordo em relação à ação que se pretende realizar”. Numa carta denunciam que “a Câmara Municipal de Barcelona não quis promover o diálogo ou o consenso com os agentes envolvidos antes de preparar e publicar uma iniciativa desta natureza. Esta corporação profissional não teve a oportunidade de colaborar, dar sua opinião sobre o setor ou valorizar a iniciativa, enquanto uma equipa municipal projetou e preparou o projeto”.

Além disso, acrescentam, “não é verdade que se possa dizer que a proposta da clínica municipal oferece preços 40% mais baratos e, ao mesmo tempo, é mais do que duvidoso que possa chegar a 36 mil pacientes por ano”.