Quantcast
Apneia do Sono

Apneia do sono acelera perda de memória e de funções cognitivas

Dormir muito ou pouco pode potenciar doenças crónicas

Um estudo recentemente realizado nos Estados Unidos da América conseguiu demonstrar que a apneia do sono e o ressonar estão ligados à perda de funções cognitivas e de memória, podendo levar ao desenvolvimento de Alzheimer.

Para chegar a esta conclusão, os cientistas analisaram o historial clínico de 2470 pessoas entre os 55 e os 99 anos que não possuíam problemas de memória ou problemas cognitivos diagnosticados. Os resultados mostraram, no entanto, que aqueles que sofriam de apneia do sono tinham sofrido também algumas perdas ao nível das funções cognitivas.

As conclusões indicam ainda que aqueles com apneia do sono desenvolveram doença de Alzheimer cerca de cinco anos mais cedo do que aqueles sem essa condição.

De acordo com os Centros de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA, no país entre 50 a 70 milhões de pessoas sofrem de distúrbios do sono como apneia, especialmente pessoas com mais de 65 anos. A doença pode ter efeitos na saúde como pressão arterial elevada, doenças cardiovasculares, AVC, diabetes, depressão e impotência.

 

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?