Medicina Dentária

Ana Sofia Lopes regressa à NYU para apresentar protocolo cirúrgico e de prostodontia Ao4

Ana Sofia Lopes regressa à NYU para apresentar protocolo cirúrgico e de prostodontia Ao4

Durante três anos, a médica dentista portuguesa Ana Sofia Lopes esteve em Nova Iorque, mais propriamente na New York University, para aprofundar os estudos. Recentemente regressou para apresentar o protocolo cirúrgico e de prostodontia Ao4.

“A minha passagem pela NYU durou três anos, entre 2014 e 2016. Os meus estudos começaram com um ano de Reabilitação Oral, no departamento de Prostodontia, sendo que nos dois anos seguintes concluí uma pós-graduação no departamento de Implantologia”, recorda.

Quando chegou a Portugal, em 2016, “candidatei-me ao título de especialidade da Ordem dos Médicos Dentistas, que viria a obter em grande medida devido à formação que obtive na NYU, extremamente completa e com uma dimensão inexistente em Portugal”. Esta passagem pelos Estados Unidos constituiu uma “experiência muito gratificante e enriquecedora, abrindo-me horizontes e dando-me vontade para evoluir mais na área de implantologia”.

Para Ana Sofia Lopes, ter estado na NYU “foi um sonho realizado pois desde há muito que queria ter uma experiência internacional. Fiz amigos provenientes de todo o mundo, aumentando o meu respeito pelas culturas existentes em todo o mundo. Nesta medida, a NYU não só me deu um know-how a nível científico, mas também a nível pessoal e humano”.

“Tive a sorte de ter um diretor que sempre me guiou e motivou a progredir, que me fez querer sempre mais e a aceitar todos os desafios propostos. Ensinou-me que não há impossíveis quando gostamos do que fazemos, mas sempre com humildade e respeito pelos outros. Transmitiu aos alunos o poder de trabalhar em grupo, o saber que unidos alcançaríamos patamares cada vez mais altos e isso deu-me um espírito de equipa que aqui não encontraria, permitindo-nos fazer trabalhos que apresentámos juntos em vários congressos nos Estados Unidos”.

A união a Paulo Malo

Pouco tempo depois de chegar a Portugal, após uma entrevista com Paulo Malo, foi admitida e iniciou o seu percurso no departamento de cirurgia. “Foi um trajeto difícil, onde tentei maximizar os meus conhecimentos, uma vez que não estava familiarizada com o protocolo cirúrgico do AO4”, refere.

Ana Sofia Lopes regressa à NYU para apresentar protocolo cirúrgico e de prostodontia Ao4

Ana Sofia Lopes com Mariana Nunes, João Rangel e Inês Murteira

Apesar das dificuldades iniciais tudo evoluiu da melhor forma até que surgiu a vontade de abrir o próprio espaço. “Enchi-me de coragem, marquei uma reunião com o Dr. Paulo Malo e quando lhe comuniquei o desejo de abrir uma clínica em Cascais ele disse-me imediatamente: ‘Eu serei teu sócio’. Senti-me muito feliz e agradecida pelo voto de confiança e assim iniciámos o percurso da Malo Clinic Cascais”.

A experiência tem sido muito positiva. “Temos muita abertura no mercado, tanto pela localização, como pelo nome, quer pelo trabalho que realizamos, bem como pelo próprio Dr. Paulo Malo e pela Malo Clinic. O protocolo utilizado nas Malo Clinics é muito organizado e direcionado ao bem-estar do paciente”.

O regresso a Nova Iorque

Este ano, Ana Sofia Lopes recebeu o convite para voltar à NYU. “O convite surgiu através do meu ex-diretor, que quis perceber como funciona o nosso protocolo. Mal entrei na NYU senti-me em casa e muito acarinhada. Desta vez estive do outro lado, a ensinar, e nesse momento percebi ainda mais a importância de ter lá passado três anos da minha vida”.

Ana Sofia Lopes viajou com colegas da Malo Clinic – Mariana Nunes, João Rangel e Inês Murteira, para “apresentar o protocolo cirúrgico do AO4 e o protocolo da Malo Bridge. Foi mais fácil para mim saber o que podíamos apresentar. Para nós os quatro foi muito gratificante ensinar algo que nunca foi totalmente aceite na universidade e ensinar-lhes a base do nosso protocolo e ainda a história de como o Dr. Paulo Malo desenvolveu o protocolo AO4. Tivemos oportunidade de realizar um Hands-On, onde dividimos a turma de 24 alunos em 12, por hands-On, o que lhes permitiu ter um contacto direto com o protocolo, realizando o mesmo em modelos”.

A médica dentista destaca ainda a ajuda da Nobel Biocare dos Estados Unidos, “que foi preciosa pois facultou-nos todo material necessário para o Hands -On. Os alunos gostaram muito, mostraram-se interessados e houve uma interação muito forte com perguntas e respostas sobre o AO4. Saímos de lá com a noção de que os alunos compreenderam o nosso protocolo e os diretores ficaram com vontade de iniciar estes protocolos na NYU. Por enquanto estamos só com projetos de investigação com eles e esperamos, num futuro próximo, contribuir para a formação dos alunos de pós-graduação de implantologia na NYU”.

No futuro, os quatro médicos dentistas gostariam de “estabelecer um intercâmbio mais direto, entre a MALO CLINIC e a NYU, uma vez que a Malo Clinic possui o departamento o MALO EDUCATION, que “traz participantes de todo o mundo para aprender o protocolo do AO4. Neste momento convidámos também o meu mentor da NYU para visitar as nossas instalações e conhecer o Dr. Paulo Malo”.

Hoje em dia, Ana Sofia Lopes tem a noção que “foi um percurso muito difícil, sobretudo por estar longe da família, nomeadamente dos meus dois filhos pequenos, mas tenho a convicção que valeu a pena, pois ter saído do meu espaço de conforto tornou-me mais confiante, forte, independente e realizada. Quando terminei senti o maior alívio e, simultaneamente, um sentimento de que alcançara uma meta que ao início se apresentava quase como uma miragem, sobretudo pelo desafio de estar largos períodos longe dos meus dois filhos”.