Investigação

Alertar os pacientes para os riscos das doenças periodontais pode impulsionar melhores hábitos de higiene oral

Alertar os pacientes para os riscos das doenças periodontais pode impulsionar melhores hábitos de higiene oral

Um estudo acaba de descobrir que usar algumas técnicas psicológicas para comunicar aos pacientes o risco de desenvolvimento de doenças periodontais pode ajudar a melhorar os hábitos de higiene oral e a reduzir a gengivite.

Levada a cabo por investigadores da Faculdade de Medicina Dentária do King’s College, em Londres, a investigação testou esta metodologia em 97 pacientes com doenças periodontais moderadas. Todos os pacientes receberam os tratamentos habituais, foram alvo de um relatório individualizado sobre o risco da sua doença periodontal e de um programa com metas individualizadas, planeamento e estratégias de auto monitorização com base nesta teoria psicológica.

Os resultados agora divulgados mostram que, em menos de 12 semanas, a placa bacteriana reduziu de forma drástica no caso dos pacientes a quem os riscos da doença foram comunicados, não sofrendo qualquer alteração no caso dos pacientes que receberam o tratamento habitual.  Para além disso, os autores revelam que a frequência de higiene interdentária melhorou apenas nos grupos a quem foram comunicados os riscos das doenças periodontais.

Koula Asimakopoulou, que liderou a investigação, defende que “o nosso estudo mostra que através de uma intervenção psicológica simples, podemos melhorar de forma significativa os resultados clínicos e reduzir os sinais iniciais de doença da gengiva em pacientes que de forma rotineira vão a consultas de medicina dentária”. Leia o estudo em detalhe aqui.