Gestão

“Se tem uma clínica e quer ser um líder eficaz terá de delegar”

“Se tem uma clínica e quer ser um líder eficaz terá de delegar”

Hoje em dia, a ideia de manter a gestão de negócio da clínica a nível interno é vista por alguns como algo cada vez menos possível. Nesta entrevista com a Dental Tri­bune, a consultora Andrea Greer reflete nas mudanças que ocorreram na Medicina Dentária, nos erros de negócio mais comuns cometidos pelos médicos dentistas e no que pode ser feito para melhorar a formação na área de negócio.

Que cargo profissional tem desempenhado na área em Medicina Dentária?

Entrei em Medicina Dentária por acaso. Depois de mudar de Washington para o Estado do Colorado sem emprego, uma amiga perguntou-me se estaria interessada em estagiar como assistente dentária e aceitei logo, na perspetiva de receber um salário. Apaixonei-me pela área e iniciei imediatamente a preparação para a escola de Higienista.

Acabei por transitar para a gestão administrativa e para a formação em software e consultoria. Por fim, em 2013, atingi um objetivo de longa data ao tornar-me consultora a tempo inteiro numa conhecida empresa nacional. Em janeiro deste ano iniciei atividade por conta própria como consultora e oradora e estou a adorar!

 De que forma mudou o negócio dentário nas últimas duas décadas?

De cem maneiras distintas! Quando estava a exercer como higienista no Colorado, a implantologia e a integração de software na prática clínica e os registos de saúde eletrónicos eram a fronteira em que nos encontrávamos. Nessa altura, gerir uma clínica dentária a nível interno era perfeitamente exequível e dispúnhamos de todo o tempo necessário para nos mantermos a par dos sistemas implementados.

No entanto, com o passar dos anos assistimos a uma viragem em termos de tecnologia, dívida dos estudantes, expectativas dos pacientes, ciência, materiais, expectativas dos funcionários, seguros, regulamentação, marketing, conec­tividade e equilíbrio entre emprego e vida pessoal de proporções drásticas. Não acredito que seja possível para um proprietário manter toda esta gestão internamente por mais tempo. Traz custos mais elevados e um maior risco de má gestão. Penso que, para que um empresário seja um líder eficaz deve delegar e recorrer a outsourcing para determinadas tarefas e sistemas.

Encontrou inúmeros dentistas ao longo dos anos. No que toca a dificuldades na gestão de negócio deparou-se com situações recorrentes?

Em muitas clínicas existe uma falta de compreensão geral face à implementação de sistemas e de criação de uma cultura de responsabilização. Há uma lacuna na formação de competências de liderança básicas no nosso sistema educativo. Por isso, quando um empresário é desafiado a controlar uma agenda caótica ou a ajudar a sua equipa a compreender como se atende um telefone ou até a garantir que é feita a recolha do dinheiro que é devido à clínica, ele ou ela não sabem como formar e motivar a equipa a desempenhar essas tarefas.

E nunca se trata apenas de um aspeto. Existem sempre inúmeros sistemas desadequados ou em falta e torna-se impossível para um dentista tentar implementar medidas com êxito. Ele ou ela apenas quer exercer Medicina Dentária. Muitas vezes o caos acaba por instalar-se. É nessas alturas que vêm ter comigo.

 Como podem os proprietários das clínicas aprender a gerir um negócio?

Acho que existe na educação médica e dentária uma grande necessidade de expor os futuros médicos à vertente do negócio. Quase a totalidade dos médicos dentistas com quem tenho falado me relatam a experiência na Faculdade com ênfase nos sistemas fisiológicos e processos que não são críticos na rotina diária de uma clínica.

Por outro lado, não há discussão sobre como compreender uma demonstração de resultados, liderança ou os porquês por detrás da criação e compreensão dos dados de negócio. Pertenço a um grupo no Facebook liderado por um dentista, cuja missão é dar uma breve perceção do que é necessário para gerir uma clínica, tanto para estudantes de Medicina dentária como para proprietários de clínicas.

Um dia, este médico revelou-me que nunca viu um médico dentista perder a sua clínica devido a uma restauração dentária mal feita, mas todos nós já vimos clínicas em dificuldades ou que falharam por mau serviço ao cliente ou pelo facto de o dentista não compreender as despesas gerais.

Já ouvi dizer que o currículo académico em Medicina Dentária não permite que seja dedicado tempo à vertente de negócio, embora alguns tenham admitido que isto é uma desculpa para evitar a mudança. Será assim tão difícil incluir no programa uma cadeira semestral (que mesmo assim não será suficiente) sobre práticas básicas de negócio em Medicina Dentária? E se a formação na área de negócio fosse um requisito para entrar na Faculdade de Medicina Dentária? Ajudar os estudantes a compreender os princípios básicos do empreendedorismo, os recursos humanos, o que devem ou não fazer, etc. Isso seria um bom começo.

 Com base na sua experiência ao longo destes anos, quais são os erros mais marcantes cometidos por proprietários de clínicas dentárias?

Aguardar demasiado tempo até pedir ajuda. Muitas vezes, a desculpa para o recém- proprietário de clínica é o orçamento e compreendo isso perfeitamente. Contudo, conseguir os meios para pagar uma ajuda no início pode significar uma grande poupança em dinheiro, tempo e dores de cabeça a médio ou longo prazo. Tenho contactado com algumas das melhores pessoas na área dentária durante décadas — consultores, oradores, professores e escritores.

Todos temos muitos testemunhos de clientes que reconhecem os benefícios de terem pedido ajuda poucos anos após terem iniciado a atividade e conseguiram aplicar com sucesso aquilo que aprenderam. E muitas vezes comentam que gostavam de ter-nos contactado mais cedo. Tal como uma cárie é mais fácil de tratar quando é pequena e não dói também contratar uma ajuda externa atempadamente para ajudar a determinar que medidas implementar e como fazê-lo é o melhor investimento que pode fazer para si e para o seu negócio.

Que conselho daria a alguém que pode estar a enfrentar dificuldades com esta vertente de negócio da atividade de Medicina Dentária?

Procure formação junto de fontes credíveis e com reputação. Entre em contacto com pessoas que estão na área há anos e têm tido sucesso. Receber conselhos que alguém que tem experiência pode significar obter fatos sólidos e o treino necessário para melhorar o seu negócio. O velho ditado “o barato sai caro” ainda se aplica hoje em dia.