Quantcast
Investigação

Quase metade das crianças que receberam tratamento oncológico desenvolveram ADD

Quase metade das crianças que receberam tratamento oncológico desenvolveram ADD

Um estudo realizado no Centro Médico da Universidade de Hebrea Hadassah, em Israel, descobriu que 46% das crianças que receberam tratamento oncológico desenvolveram anomalias dentárias de desenvolvimento (ADD). O estudo envolveu 121 adolescentes que tinham histórico de oncologia infantil, sendo que dos 3 388 dentes analisados, 9% tinham estas anomalias, informa a Gaceta Dental.

A maioria da amostra (83,69%) tinha sido tratada com quimioterapia sem radioterapia. 31% apenas foi tratada com radioterapia ou em combinação com quimioterapia. 12% receberam irradiação do corpo inteiro (TBI) e 13% tiveram a radiação na zona da cabeça e/ou pescoço como tratamento. 30% foi submetido a transplante de medula óssea.

 

As ADD foram detetadas em 43% dos indivíduos que receberam quimioterapia; em 52% dos que receberam radioterapia e em 42% dos que receberam radioterapia da cabeça e pescoço. Os pacientes que receberam apenas quimioterapia com seis ou menos idade possuíram uma maior prevalência de número de dentes malformados.

Pode consultar o estudo completo, aqui.

 
Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?