Caso Clínico

Implantes imediatos em zona estética: Socket-shield technique

Doente do sexo masculino, 45 anos, fumador compareceu na consulta com queixas referidas ao dente 11, o qual apresentava uma coroa fixa com falso coto metálico, realizada há cerca de dez anos. A principal queixa do paciente era o facto de esta coroa descimentar com bastante frequência, não tendo qualquer sintomatologia álgica.

Após análise clínica e radiográfica optou-se por realizar exodontia parcial da raiz e colocação de implante imediato. O dente apresentava cárie na porção mais cervical da raiz e não se observou qualquer lesão periapical. Realizou-se um socket-shield e o implante foi posicionado com preenchimento do gap com Mineross X (xenoenxerto). A estabilidade primária obtida foi inferior a 70 ISQ, pelo que se decidiu realizar uma ponte Maryland provisória aderida aos dentes adjacentes. Após quatro meses colocou-se uma coroa definitiva aparafusada ao implante em zircónio. O caso é apresentado com um follow-up de dois anos.

Discussão

A técnica socket-shield tem demonstrado resultados clínicos e histológicos em humanos bastante satisfatórios, que confirmam a presença de osso entre o shield e o implante. Em estudos histológicos tem sido relatada sua capacidade de evitar a remodelação óssea da parede vestibular raiz, a preservação da crista óssea vestibular e dos tecidos moles adjacentes e parece não interferir na osteointegração do implante.

Conclusões

A técnica socket-shield é uma técnica cirúrgica bastante sensível, que requer uma preparação adequada por parte do cirurgião. Quando corretamente realizada pode ser uma opção conservadora bastante válida para a manutenção dos tecidos periimplantares, tendo baixa morbilidade para o paciente.

Nota: Caso clínico publicado na Saúde Oral nº 123, novembro/dezembro 2018

Leia o caso clínico aqui.