Quantcast
Gestão

As melhores estratégias para criar um plano de marketing perfeito

Um plano de marketing orienta as estratégias a tomar, servindo como um guia que nos leva a  alcançar os objetivos traçados,

Um plano de marketing orienta as estratégias a tomar, servindo como um guia que nos leva a  alcançar os objetivos traçados, cumprindo diversas etapas que contribuem para o sucesso e para o crescimento da empresa. 

Dada a importância deste documento, é extremamente importante conhecer as melhores estratégias para criar um plano de marketing perfeito.

O que é um plano de marketing perfeito?

Um plano de marketing perfeito é um documento essencial, que deve estar sempre em cima da mesa e nunca deve ser colocado na gaveta, remetido ao esquecimento. É preciso colocá-lo em prática, diariamente, pois ele é essencial para a construção do sucesso da sua empresa.

Por que razão é importante ter um plano de marketing?

O marketing viveu ao longo de muito de anos de panfletos, outdoors e anúncios de televisão. Porém, nos últimos anos, esses meios de comunicação foram ultrapassados pelos que se encontram na internet, pois as pessoas estão sempre online, nos computadores, telemóveis ou tablets.

A internet é uma exigência dos tempos atuais, tal como o marketing digital, sendo o palco de encontro privilegiado com grande parte dos seus clientes, permitindo à sua marca comunicar através desses meios com as pessoas.

Para isso, é crucial criar um plano de marketing digital que seja completo, para que a sua empresa esteja devidamente preparada. Estando bem elaborado, ele garante a eficiência necessária para fazer a diferença entre o sucesso e o insucesso do seu negócio.

Ter um plano de marketing perfeito é ter um documento direto e objetivo que se torna numa ferramenta poderosa e que se revela crucial, pois assegura diversas vantagens. 

Processo de criação de um plano de marketing

Existem diversas etapas que se revelam importantes no processo de criação de um plano de marketing

A estrutura de um plano de marketing pode ter etapas distintas e adotar diferentes estratégias, de acordo com as especificidades das empresas, devendo ser sempre um documento amplo e completo.

1) Definição os objetivos iniciais

É importante definir os objetivos para as ações de marketing digital, conjugando o objetivo geral da empresa (fortalecer a presença web da marca) com os objetivos específicos criados para cada campanha (como gerar o aumento de leads, fidelizar clientes, entre outros).

Be SMART! – Siga estas 5 diretrizes para definir os seus objetivos.

plano de marketing - smart

2) Diagnóstico da empresa

A realização do diagnóstico é extremamente importante. Representa olhar para dentro da empresa, perceber qual a situação atual da empresa e conhecer toda a informação relevante (como o número de colaboradores, o volume de vendas, o histórico de faturação, os recursos à disposição, o posicionamento atual e os objetivos da gestão, entre muitos outros fatores), através de uma análise profunda da empresa, reconhecendo os seus pontos fortes e fracos.

Permite ainda identificar as oportunidades e as ameaças que podem influenciar o desempenho da empresa. A ferramenta mais indicada para esta etapa de diagnóstico é o framework da análise SWOT.

Plano de Marketing - SWOT

A análise SWOT ajuda na definição e na análise de planos estratégicos, permitindo organizar os pontos cruciais em que se deve centrar: pontos negativos e positivos; internos e externos.

S – Forças: São fatores internos que representam pontos fortes da empresa. Uma vantagem sobre a concorrência, que permite que se destaque.

W – Fraquezas: São fatores internos, mas que se revelam negativos. São desvantagens como ter uma equipa reduzida ou incompetente que não cumpre as expectativas criadas.

O – Oportunidades: São fatores externos, que se encontram fora da empresa e que estão no mercado, mas que se revelam positivos. Por exemplo, a adoção de uma lei que favoreça o negócio de uma empresa ou um acontecimento que se revela positivo para a empresa.

T – Ameaças: Existem também fatores externos que representam ameaças que podem prejudicar uma empresa, como o surgimento de uma determinada lei ou acontecimento.

É importante realizar essa análise em equipa, com colaboradores de diferentes setores, para que possam ser discutidos pontos de vista distintos, pois isso irá contribuir para que se possa compreender melhor o contexto geral.

Depois, ao analisar o máximo de informações que foram disponibilizadas, é possível traçar planos de ação para cada cenário, explorando as forças e aproveitando as oportunidades, além de se conseguir prevenir as ameaças e reduzir, anular ou contornar as fraquezas da empresa.

Diagnóstico do mercado com análise das cinco forças de Porter

Outra etapa consiste em olhar para fora da empresa, sendo importante fazer a análise do ambiente de negócio, levantando dados do macroambiente e do microambiente. O objetivo é  analisar fatores que podem interferir no plano de atuação da empresa, ao longo da execução do plano de marketing.

O que são as 5 forças de Porter?

Michael Porter, professor da Harvard Business School, criou este modelo em 1979. Tendo publicado, nesse ano, um artigo na revista de Harvard, chamado “As 5 Forças de Porter – Como as forças competitivas moldam a estratégia.”

Estas forças são um framework de análise das forças competitivas que permitem dinamizar um setor de negócios. As 5 forças de Porter são:

  • Rivalidade entre concorrentes;
  • Poder de regatear dos fornecedores;
  • Poder de regatear dos compradores;
  • Ameaça de novos elementos;
  • Ameaça de produtos ou serviços substitutos.

Há, assim, fatores encontrados no macroambiente ou no microambiente que interferem no plano criado. Fatores que podem ser conjugados para construir cenários que permitem elaborar estratégias que ajudam a fortalecer a empresa em cada momento.

Assim, o plano de narketing pode ser elaborado de forma a antecipar esses fatores do ambiente de negócios, conseguindo o sucesso, aproveitando os fatores positivos ou contornando os fatores negativos para a empresa.

3) A compreensão da empresa e do público-alvo

É crucial haver o domínio de diferentes áreas, conjugando o conhecimento de como funciona o mercado com a capacidade de aprofundar a investigação sobre o público-alvo. 

Reconhecemos, desde sempre, que o conhecimento é poder. Por isso, quanto mais se conhecer sobre o mercado onde se está inserido, mais possibilidade de sucesso se terá. Portanto, estudar é crucial, devendo-se recorrer a algumas análises que possam ajudar-nos a definir os próximos passos, orientando a nossa direção.

Público-alvo e Persona

Existem dois conceitos que são constantemente confundidos: Público-Alvo e Persona.

Público-alvo 

O público-alvo é uma fatia da população que, pelas suas características, se revela o destinatário ideal para as empresas se promoverem. Ele representa um grupo de pessoas ou de organizações que têm um mesmo perfil e têm interesse nos seus produtos, por isso a sua empresa direciona as ações de marketing para ele, fazendo a comunicação dos seus produtos ou serviços. 

É um grupo de pessoas que partilha algumas características (grau de escolaridade, objetivos, hábitos de consumo, preferências, região que residem, poder aquisitivo, interesses, entre outros). É importante o papel do público-alvo, pois é este que vai comprar os serviços/produtos da sua empresa. Portanto, ele pode ajudar a empresa a gerar lucros. O conhecimento aprofundado sobre o público-alvo evita que se desperdicem energias onde não haverá sucesso, além de permitir que se criem estratégias mais assertivas e eficazes.

Nota: Definir bem o público-alvo assegura diversas vantagens para o seu negócio! Permite melhorar a identidade da empresa, tal como a linguagem a usar. 

Possibilita ainda identificar qual o melhor conteúdo para produzir, mas também saber quais são os melhores canais e eventos para criar conteúdos. 

Definir bem o público-alvo também permite saber qual é o melhor timing das ações e do lançamento dos produtos, ajudando ainda a refletir sobre as alterações e melhorias a realizar no(s) produto(s).

Persona

A persona é o perfil de um comprador tipo, o cliente ideal. Naturalmente, é uma personagem fictícia que apresenta as caraterísticas dos clientes reais aos clientes aos quais se pretende chegar.

A persona é um processo de descoberta feito com base em dados qualitativos e quantitativos dos clientes existentes e permite direcionar melhor as suas ações de marketing. A persona, que é a exemplificação do comprador perfeito, obriga a uma investigação muito mais aprofundada e detalhada do que o público-alvo (necessitando de informações como características pessoais, poder aquisitivo, estilo de vida, interesses, informações profissionais).

Nota: A definição da persona permite identificar uma valiosa parcela de visitantes que se revelam de alto valor. Não só permite atrair leads relevantes, como dar seguimento aos leads, pois a persona facilita o processo de conversão e de retenção dos mesmos. 

Realizar uma abordagem orientada para perfis de persona permite implementar práticas de marketing mais direcionadas e estratégicas. Logo, aumenta as margens de sucesso.

Dicas: Ferramentas como o SEMrush ou o Market Explorer podem ajudar na definição desta etapa.

4)  Concorrência

É crucial fazer uma análise detalhada e competitiva do mercado; identificar os principais concorrentes; e conhecer a fundo as suas estratégias e pontos fortes e fracos.

Estar atento a comentários e referências feitas nas redes sociais, a críticas e até conhecer queixas realizadas em sites como o Livro de Reclamações Digital, é fundamental.

É importante conhecer os seus principais concorrentes e saber:

  • o que eles estão a fazer 
  • como lidam com o seu público
  • onde inovam (em produtos e serviços) e fazer melhor
  • quais os problemas não solucionados e fazer-se notar
  • quais as necessidades que o concorrente está a descurar


Use toda a informação para fazer a sua empresa sobressair:
 saiba como pode melhorar os seus produtos, saiba que novos nichos pode explorar, saiba destacar na campanha de marketing uma característica que faz o seu produto único.

5) O plano de marketing perfeito

Um plano de marketing digital pode ser muito distinto, assumindo uma estrutura bem diferente. 

Elaborar um plano de marketing digital representa um investimento de tempo e dinheiro, mas se for bem realizado, traz o seu devido retorno. 

Isto, porque evita perdas de tempo e impede que haja dinheiro mal investido. Deve ter todas as etapas que possibilitem dar seguimento a diferentes passos, mas também permitir a liberdade de lidar com imprevistos.

O início

Um plano de marketing digital tem o formato de um relatório, sendo até possível encontrar alguns modelos na internet. Contudo, será preferível criar um de raíz e personalizado com o logo da empresa.

I) Estrutura

O plano de marketing digital deve servir como um percurso orientado, devendo estar dividido por diferentes etapas. Assim, irá auxiliar na organização e ajudar na apresentação do conteúdo, o que tornará a sucessão de etapas algo natural. 

O plano de marketing pode ter a seguinte estrutura:

1. Sumário executivo;
2. Diagnóstico;
3. Análise do ambiente;
4. Público-alvo e persona;
5. Concorrentes;
6. Posicionamento;
7. Objetivos;
8. Metas e indicadores;
9. Estratégias de marketing;
10. Recursos e orçamento;
11. Cronograma;
12. Responsáveis.

II) Pesquisa

No plano de marketing digital devem estar colocadas questões e existir um espaço para o desenvolvimento de respostas. Por isso, é sensato ter um plano de marketing com as seguintes secções:

1. Quais são os objetivos da empresa?
2. Qual é o cenário do mercado atual?
3. Quem é o público-alvo da empresa?
4. Quem são as personas criadas pela empresa?
5. Quais são as métricas que serão usadas?
6. Quem é a concorrência?
7. As decisões apresentadas foram baseadas em que dados?
8. Quais são as metas e os resultados esperados?
9. Quais são as estratégias de ação e plano?
10. Qual é a composição da equipa?
11. Quais serão os canais usados?
12. Qual será a estratégia de conteúdo?
13. Como é que as estratégias “conversam” com o branding?
14. Qual será o formato utilizado para o conteúdo?
15. Quais serão as medidas de SEO?
16. Qual será a estratégia de investimento (relativamente a parcerias e a anúncios)?
17. Quanto será o custo por campanha. Quanto se gastará mensalmente? E qual será o custo total?
18. Como serão monitorizados os resultados dessas ações?
19. Quais são os cronogramas associados a essas ações?

III) Execução

Para a execução será necessário:

  • Relatórios em tempo real de acompanhamento das ações;
  • Projeções de metas e gastos;
  • Campanhas em execução no momento;
  • Projetos de melhoria e aprimoramento.

No plano de marketing, deve ainda existir espaço para anexos que sirvam para detalhar com maior precisão os investimentos necessários.

Imprevistos

Nenhum plano é verdadeiramente perfeito. Há sempre riscos, por isso devem existir planos de contingência. Os imprevistos e erros podem sempre existir, mesmo quando o trabalho é liderado por um excelente gestor. 

Convém tentar prever contextos de risco, perceber que fatores externos podem surgir (crise económica ou alterações súbitas no mercado), de modo a evitar surpresas negativas, respondendo com um plano B.

Ao ter já delineadas ações para resolver esses possíveis problemas, consegue atuar rapidamente, impedindo que os danos sejam graves e irreversíveis. Depois, faça as devidas correções e mantenha o foco no plano de ação, adaptando o plano. Uma contrariedade não implica a necessidade de abandonar o plano de ação e descartar todo o trabalho realizado.

Conclusão

Fazer um plano implica dominar diversas variáveis. Por isso, convém socorrer-se de uma equipa profissional e competente, de forma a assegurar um plano sólido, com maior margem de sucesso. 

O parceiro

Para a construção do plano de marketing perfeito, pode ser importante encontrar um parceiro que ajude a definir as suas diferentes etapas, a identificar o público alvo, a orientar de forma a que sejam encontradas as melhores ferramentas para ajudar na definição do público (como o SEMrush), dos planos de ação e das metas.

Um parceiro como a Constant Circle pode ajudar a manter o plano sempre atualizado, com uma constante revisão.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?