Higiene Oral

Indústria dentária contesta possível abandono da recomendação de utilização de fio dentário

utilização de fio dentário

A discussão ‘veio à baila’ no início deste mês depois de ter sido publicada uma investigação da Associated Press que indicava que a recomendação de utilização de fio dentário deixou de fazer parte das regras emitidas e reavaliadas a cada cinco anos pelos Serviços de Agricultura e Saúde e Serviços Humanos dos EUA.

De acordo com a imprensa internacional, a notícia caiu como uma ‘bomba’ na indústria dentária, já que um possível abandono da recomendação de utilização do fio dentário na higiene oral pode significar a perda de milhões todos os anos.

A investigação conduzida pela Associated Press sublinha que os estudos até agora realizados para analisar os benefícios desta prática de higiene oral possuem conclusões “fracas, pouco sólidas” e de “baixa qualidade”.

Para aprofundar a questão, o Dental Tribune publicou na passada semana um artigo em que faz uma análise dos estudos que têm sido publicados sobre o tema e em que reúne as reações de vários profissionais da indústria da medicina dentária à investigação da Associated Press.

Wayne Aldredge, Presidente da Academia Americana de Periodontologia, foi um dos ouvidos pelo Dental Tribune e reconhece que de facto “existem evidências científicas fracas” em muitos dos estudos realizados sobre o assunto, contudo, refere que é importante que os pacientes continuem a utilizar fio dentário para evitar doenças periodontais. “É como construir uma casa e não pintar dois dos seus lados. Em última análise esses dois lados irão apodrecer mais rapidamente”, defende.

A Associação Dentária Americana também já emitiu um comunicado sobre o tema e defende que “a falta de evidências fortes não equivale a falta de eficácia”, reforçando que “uma limpeza profissional, a escovagem dos dentes e a limpeza entre os dentes (com a utilização de fio dentário e outras ferramentas como as escovas interdentais) já demonstraram ter a capacidade de remover a placa dentária”.

E não é só do outro lado do Atlântico que têm surgido defensores desta prática de higiene oral. A Associação Dentária Alemã refere que a utilização de fio dentário “continua a ser uma forma importante de limpar os espaços interdentais, especialmente nos espaços mais estreitos dos dentes anteriores”.

Por cá, a Ordem dos Médicos Dentistas recomenda que, para manter uma boa higiene oral, é fundamental escovar os dentes duas vezes ao dia com dentífrico fluoretado durante cerca de dois minutos e consultar um médico dentista regularmente, duas vezes por ano. “É ainda importante, para cuidar adequadamente dos dentes e das gengivas, a higienização dos espaços interdentários com fita dentária, escovilhões interdentários e higienização profissional, seguindo as indicações do médico dentista”.

Para a OMD, a higienização diária dos espaços interdentários onde a escova não chega é fundamental para a remoção dos resíduos dentários que, por ação das bactérias patogénicas, podem facilitar o aparecimento de cárie dentária e doença gengival.