Quantcast
Saúde Oral

Utilização de cinza vulcânica não é recomendada como dentífrico

Consejo General de Dentistas, em Espanha, alertou que as características da cinza vulcânica podem danificar o esmalte dentário. A informação surge no seguimento da possibilidade de elaborar pastas dentífricas com cinza vulcânica, resultado da erupção do vulcão Cumbre Vieja (nas Canárias), relata a Gaceta Dental.

Os seus efeitos nos dentes, ao desgastar o esmalte natural, podem ser:

  • Tornar a dentina visível, cuja cor é mais amarelada que o esmalte;
  • Aumentar a sensibilidade dentária, uma vez que a polpa dentária ficará mais desprotegida;
  • Possibilidade de danificação das gengivas

O conselho recorda que, mesmo assim, sob a promessa de branqueamento de dentes, algumas pastas dentífricas contêm uma quantidade negligenciável de minerais vulcânicos, o que não significa que seja um material essencial, nem que produza o efeito de branqueamento desejado.

O Consejo General de Dentistas também insiste no risco de fazer pasta de dentes caseira, por exemplo, com argila branca de cinza vulcânica, e outros elementos. “Embora certos agentes naturais tenham propriedades inquestionáveis, a sua utilização não deve ser promovida se não tiverem apoios científicos que demonstrem a sua eficácia e segurança. Deve ter-se em conta que todas as pastas dentífricas comercializadas passam por múltiplos controlos de qualidade, entre outros, em relação à sua capacidade abrasiva através de escamas padronizadas (Abrasividade Dentária Relativa ou RDA)”, relata a entidade.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?