Quantcast
Saúde Oral

Um ano é a estimativa de 40% dos médicos dentistas britânicos para fazer face ao atraso

Um novo estudo revelou que cerca de 40% dos médicos dentistas britânicos reportam que levará 12 meses ou mais para fazer face ao atraso.

Um novo estudo da Faculty of Dental Surgery (FDS) na Royal College of Surgeons of England revelou que cerca de 40% dos médicos dentistas britânicos reportam que levará 12 meses ou mais para fazer face ao atraso nas consultas, avança o Dentistry.

Além disso, um quarto (25%) relata que a maioria dos pacientes nas listas de espera são crianças. Quase um terço (39%) dos inquiridos disse também ter sido difícil recrutar novos profissionais durante a pandemia.

A investigação descobriu ainda que mais de metade (54%) disse que a exigência de aderir aos requisitos de tempo entre consultas é uma barreira para ver mais pacientes.

Os requisitos de distanciamento social (49%), a disponibilidade limitada de espaço cirúrgico (30%), a ventilação inadequada (28%) e a falta de pessoal (25%) também foram reportadas como barreiras significativas.

“Oito em cada 10 dos nossos membros disseram-nos que estavam de volta a providenciar procedimentos de rotina. A maioria está a providenciar tratamento de emergência. Dito isto, a pandemia criou um atraso significativo de pacientes que precisam de tratamento, que não será escoado tão cedo”, afirmou o reitor da faculdade, Matthew Garrett.

“Devem ser feitos esforços para garantir o acesso oportuno ao tratamento dentário para crianças e adultos vulneráveis. Isto inclui aqueles com necessidades educativas especiais”, apelou.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?