Quantcast
Médicos Dentistas

Testes de covid-19 com saliva estão a ser estudados em todo o mundo

testes saliva

Uma equipa de investigadores na Índia descobriu que a literatura científica sustenta o uso de diagnóstico salivar para a deteção de covid-19, como alternativa aos testes por zaragatoa no nariz. O estudo desta alternativa está a ser feito pelo mundo inteiro, desde a Nova Zelândia à Malásia, noticia o Dental Tribune Internacional. Em Portugal, a Direção Geral da Saúde (DGS) revela que está a avaliar a possibilidade de implementar estes testes com saliva nos festivais de verão portugueses, avança a TSF.

Índia

Em janeiro, investigadores do Jamia Millia Islamia e do All India Institute of Medical Sciences – ambos localizados em Nova Deli, Índia – fizeram uma revisão com o objetivo de explorar as evidências de diagnósticos salivares para a deteção de covid-19, como uma alternativa à testagem por amostras recolhidos na garganta e no nariz. Essa revisão foi feita com base na análise de literatura científica.

Os investigadores concluíram que apoiam a hipótese de a saliva ser uma opção viável de recolha de amostras para identificação do vírus. “Foram geradas evidências suficientes na presente análise relacionada com amostras salivares em SARS-CoV-2 para replicação viral, longevidade, sensibilidade, especificidade com outros vírus relacionados, e sua praticidade na recolha de espécimes”, escreveram os investigadores.

Nova Zelândia

Desde que a pandemia começou, tem existido estudos para avaliar a implementação de testes à base de saliva. A Nova Zelândia foi um dos países que testou esse uso.

O maior aeroporto neozelandês começou a testar a equipa do aeroporto através de testes com saliva – em adição aos testes obrigatórios com as técnicas tradicionais.

O teste rápido à base de saliva não precisa de ser conduzido por profissionais de saúde e as autoridades de saúde esperam que isso os ajude a identificar casos assintomáticos de covid-19, noticiou o site de notícias Stuff, em meados de fevereiro. O teste baseia-se em testes de reação em cadeia transcriptase-polimerase reversa (RT-PCR) e a sua utilização foi aprovada na Nova Zelândia.

Malásia

Os hospitais geridos pelo governo na Malásia vão começar em breve a usar testes de diagnóstico salivar. De acordo com o Malay Mail, o Ministro da Saúde Datuk Seri Dr. Adham Baba diz que a sensibilidade do método de amostragem é de 96,67% e que pode ser usada para testes RT-PCR.

Em declarações aos jornalistas, Adham afirmou que o “ministério da saúde recebeu, em princípio, a aprovação do Instituto de Investigação Médica para utilizar primeiro o método de amostragem de saliva nos hospitais do governo”. Acrescentou que esperava que os testes de saliva reduzissem a necessidade de equipamento de proteção individual, porque os indivíduos podiam recolher as suas próprias amostras de saliva.

Portugal

A Ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou há poucos dias que a Direção Geral da Saúde (DGS) e o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge estão a avaliar a implementação de testes PCR de saliva, noticia o Sapo 24.

“Esta solução, que já existe no mercado e é reconhecida pelo Infarmed, está em cima da mesa e será mais um contributo que se juntará à estratégia a entrar em vigor nos próximos dias”, afirmou Marta Temido.

Quatro instituições de ensino superior portuguesas fizeram um estudo relacionado com as amostras de saliva. Esse estudo conclui, assim como o estudo indiano, que este método era um alternativa aos testes tradicionais, noticia o jornal Público.

O uso destes testes é uma possibilidade nos festivais de música no verão. Os promotores de festivais de música e a DGS vão realizar uma série de experiências-pilotos para perceber em que moldes estes eventos podem se concretizar, avançou a TSF. Uma das opções que está em cima da mesa é o uso de testes à saliva.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?