Quantcast
Clínicas Dentárias

Spot Clinic: Uma nova clínica mesmo no centro de Lisboa comprometida com a experiência

Com apenas meio ano de existência, a Spot Clinic já tem uma história para contar onde uma equipa multidisciplinar dá resposta às necessidades de pessoas de várias gerações. Aliado à preocupação diária com a prevenção, o investimento em recursos humanos, instalações e equipamentos tecnológicos mais inovadores tem como principal missão “não adiar o sorriso” de ninguém.

Situada em pleno centro da cidade de Lisboa, é relativamente fácil chegar até à Spot Clinic, uma clínica inaugurada em março deste ano e que conta com cinco sócios fundadores e um corpo clínico multidisciplinar que dá resposta às várias áreas da medicina dentária. António Amorim, Fernando Mesquita Gabriel, Marcus Veiga, Tomás Amorim e António Amorim (Júnior) avançaram com este novo projeto com um conjunto de objetivos e características comuns.

 

Quando questionamos o diretor clínico Fernando Mesquita Gabriel se considera que foi um ato de coragem abrir uma clínica em plena crise pandémica, responde que esta já é a segunda atitude ambiciosa que os fundadores tomam em tempos particularmente difíceis. “Trabalhávamos na Clínica Maló, saímos de lá há dez anos e criámos a Lx Clinic. Entretanto, a Lx Clinic foi vendida a uma empresa espanhola em 2019 e decidimos avançar para este novo espaço”, refere. As mudanças da equipa têm sido curiosas pois a criação da clínica recentemente encerrada foi inaugurada enquanto o mundo vivia a crise económica da Troika e, a mais recente, coincide com a pandemia e todas as dificuldades que daí advieram.

 

É no edifício Tivoli Fórum, na Avenida da Liberdade, que se localiza este novo “spot” e onde uma equipa descontraída dá as boas-vindas aos pacientes de forma que se sintam confortáveis e num ambiente agradável. Com nove gabinetes e uma decoração clean existem particularidades que não deixam ninguém indiferente e onde se denota a preocupação na aposta em meios tecnológicos de vanguarda. Não foi fácil encontrar a localização ideal para uma clínica com as exigências que são necessárias de corresponder. “Não existiam muitos prédios com a circulação de ar exigida, mas contámos com uma empresa que fez um excelente trabalho e em quem confiamos totalmente”, explica o médico dentista, sublinhando que foi um processo relativamente rápido. “Contámos com o apoio da Sabrab [empresa de arquitetura/construção] e da Montellano que nos ajudaram a criar um espaço à nossa medida.”

Ao percorrermos os vários metros quadrados percebemos que a preocupação com o design foi notória e que a luz natural permite tirar maior partido das instalações. O conceito passou também por recorrer a painéis e vidro que permitem que a luz natural trespasse para a quase totalidade das várias alas da clínica.

 

“Uma das coisas que mais gozo me dá é tratar uma boca e perceber que tudo se mantém sem alterações nas consultas de revisão porque os check-ups e as consultas regulares permitem apostar cada vez mais na prevenção” – Fernando Mesquita Gabriel, diretor clínico

 

As áreas clínicas vão desde a estética, reabilitação oral, dentisteria, cirurgia oral, à endodontia, ortodontia, higiene oral, passando pela imagiologia, implantologia, periodontologia, sedação consciente até à odontopediatria, conseguindo assim responder às necessidades de pessoas de todas as idades, podendo receber todos os membros de uma família. “Tratamos crianças, irmãos, pais e avós”, refere o diretor clínico.

Aos poucos, a estrutura foi-se consolidando. Uma vez que a classe de profissionais de medicina dentária já tem os cuidados de higiene e segurança acautelados desde a génese da profissão, a adaptação aos cuidados devido à infeção por Sars-Cov-2 foram relativamente simples e naturais. “Denoto a maior qualidade das máscaras FPP2. No que respeita aos restantes cuidados, ainda é obrigatório o uso de máscara no interior da clínica [obrigatoriedade que se manteve até à data de fecho desta edição].”

A equipa é composta por dez médicos dentistas, seis higienistas orais, cinco rececionistas, oito assistentes dentárias e uma administrativa. No que respeita aos médicos, Marcus Veiga é especialista e mestre em ortodontia, tendo realizado a especialidade na Dinamarca e Fernando Mesquita Gabriel especializou-se em odontopediatria tendo realizado o seu mestrado e especialidade na Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos da América. Pedro Rodrigues, António Amorim, João Baptista Pereira e Tomás Amorim dedicam-se à dentisteria e à reabilitação oral e estética. O médico dentista Nuno Pinto exerce endodontia em exclusividade. Joana Lima e Ana Catarina Magalhães colaboram na área de ortodontia, António Amorim Júnior dedica-se à cirurgia e à implantologia.

Com um horário alargado de segunda a sexta-feira, das 8h00 às 20h00, a clínica abre também aos sábados de manhã e a grande vantagem desta nova estrutura é o salto tecnológico que foi dado e que constitui uma mais-valia na resposta a dar na prática clínica. A Spot Clinic tem um laboratório de prótese em que existem profissionais fixos e outros que colaboram pontualmente para dar apoio a algum trabalho em particular. “Recorremos também a laboratórios exteriores sempre que necessário.”

Mais e melhor tecnologia

Em dez anos, as mudanças no setor são notórias, defende o diretor clínico. “Em termos de imagiologia, temos a panorâmica telerradiografia e a TAC da última geração da New Tom®, em reabilitação oral, o scanner intraoral 3Shape®, em ortodontia, o iTero®, sedação com protóxido de azoto e, como joia da coroa, temos um laser dentário de última geração que permite fazer cirurgia e também dentisteria (remoção de cárie), o Waterlase IPlus® que possibilita a execução de múltiplos tratamentos incluindo obturações dentárias sem usar a tradicional broca e, muitas vezes, sem anestesia local. Tem múltiplas aplicações”, partilha. A endodontia é realizada exclusivamente recorrendo a microscópio no gabinete onde Nuno Pinto dá consultas e que permite visualizar e controlar todo o tratamento e acompanhar os procedimentos com todo o detalhe. Dispomos também de anestesia eletrónica com possibilidade de fazer anestesia intraóssea”, acrescenta. Nesta clínica é também possível fazer tratamento de ortodontia com Invisalign® e todas estas ferramentas acrescentam valor às soluções que são apresentadas aos clientes.

“A televisão no gabinete foi o melhor investimento que fiz na minha vida”, confessa Fernando Mesquita Gabriel. Enquanto são submetidas a algum tratamento, as crianças podem escolher o que querem ver tanto na Netflix como no Youtube. Enquanto o odontopediatra se dedica aos procedimentos necessários, a criança pode ir selecionando o que prefere assistir com o comando na mão retirando o foco ao tratamento a que está a submeter-se e acabando por se distrair mais. No que respeita aos mais pequenos, o diretor clínico considera que se denota uma melhoria nos cuidados de saúde dentários. “Assistimos a um pouco de tudo desde a falta de cuidado à ignorância, mas também o contrário pois já temos pediatras mais preocupados que nos reencaminham crianças mesmo sem cáries”, explica, assinalando que existia a falsa ideia de que só se devia marcar uma consulta no dentista quando houvesse um problema, o que, no caso das crianças, pode significar uma maior probabilidade de ser menos agradável e de não correr tão bem.

Uma vez que o corpo clínico tem muitos anos de experiência, a fidelização acaba por ser mais natural. “Quando os pacientes gostam de nós e são bem tratados acabam por voltar. Há um enorme sucesso na publicidade boca a boca.” E, nesta dinâmica, cada pormenor conta: a pontualidade, o feedback que é dado aos clientes, o atendimento telefónico, a utilização da clínica, entre outros. “Temos uma equipa ótima a vários níveis, desde as assistentes dentárias a todos os profissionais. Podemos orgulharmo-nos de ter um excelente ambiente de trabalho, muito positivo e dinâmico”, elogia o diretor clínico. Existe ainda uma boa articulação entre todos e sempre que um médico tem uma dúvida relativamente a um caso é costume pedir o apoio de algum colega para que também ele possa observar o caso e dar o seu parecer.

 Aposta na prevenção

A assiduidade acaba por ser uma mais-valia porque as rececionistas enviam SMS a lembrar a consulta do dia seguinte ou contactam os clientes que não deixaram uma consulta pré agendada quando já é expectável que voltem à Spot Clinic para revisão da sua saúde oral. “Quando se termina um caso gostamos que fique reservada uma próxima consulta ao final de seis meses para tentar manter a rotina de tratamentos e a agenda controlada”, salienta Fernando Mesquita Gabriel. O grande objetivo é manter os pacientes sem problemas. “Uma das coisas que mais gozo me dá é tratar uma boca e perceber que tudo se mantém sem alterações porque os check-ups e as consultas regulares permitem apostar cada vez mais na prevenção.” Nas consultas de odontopediatria, o médico ensina a escovar os dentes de forma correta e promove a educação e sensibilização.

“Estamos entre os melhores entre outros países, não só comparando com a Europa e afirmo-o com orgulho. A nossa profissão teve uma evolução tremenda ao longo dos anos”, afirma o diretor clínico da Spot Clinic

A maneira mais simples de ter uma boca sem problemas é através da aposta na prevenção. “Chego a ter dias em que penso que é bom sinal não ter administrado uma única anestesia pois significa que consegui apostar muito na vertente preventiva”, refere Fernando Mesquita Gabriel. Além do site da clínica que ainda se encontra em construção, a Spot Clinic está também nas redes sociais, nomeadamente, no Facebook onde são divulgadas imagens das instalações da clínica, mas também muitas informações e conselhos de prevenção ou acerca de alguns problemas de saúde oral. Alguns médicos dentistas também têm as suas páginas individuais onde dão a conhecer melhor o seu trabalho e que permitem partilhar informação fidedigna sobre determinados procedimentos aos clientes.

A Spot Clinic não trabalha com seguradoras e o diretor clínico não dá uma resposta fechada no que respeita às barreiras económicas muito associadas à procura de cuidados de saúde oral. “Depende das prioridades de cada pessoa. Eu atendo pessoas de todos os estratos económicos e muitas delas vêm de longe.” No dia da reportagem da SAÚDE ORAL, o médico odontopediatra recebeu um caso “de uma criança que viajou desde a Holanda para se submeter a um tratamento com sedação e laser porque naquele país só conseguiam fazer com anestesia geral”, conta.

Comparando a atividade do setor realizada em Portugal com a experiência profissional que teve nos EUA durante dois anos e meio, Fernando Mesquita Gabriel não tem dúvidas de que existem “em Portugal profissionais de topo a nível mundial”. Elogia ainda os “jovens colegas brilhantes” que trabalham no nosso País. E garante: “Estamos entre os melhores entre outros países, não só comparando com a Europa e afirmo-o com orgulho. A nossa profissão teve uma evolução tremenda ao longo dos anos.”

*Artigo publicado na edição 146, de setembro-outubro, da Saúde Oral

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?