Saúde Oral

Profissões do setor dentário com risco elevado de potencial exposição covid-19

Médicos dentistas na Madeira continuam a aguardar criação de carreira no SNS

Um estudo já o apontava, mas dados oficiais vieram confirmá-lo: as profissões do setor dentário estão entre as mais arriscadas em relação à exposição ao novo coronavírus, segundo estatísticas do governo do Reino Unido.

A análise foi realizada pelo Instituto Nacional de Estatística britânico (Office for National Statistic), que aponta os enfermeiros/auxiliares dentários como os profissionais com risco mais elevado de exposição potencial a doenças. Os médicos dentistas ficaram em sexto lugar e os técnicos de medicina dentária surgem no oitavo lugar da lista.

Entre os postos de trabalho de maior risco constam várias funções de cuidados de saúde. As dez principais profissões com maior exposição potencial à covid-19 são, por ordem, enfermeiros/auxiliares dentários, enfermeiros, médicos, supervisores ou guardas de residências, cuidadores, médicos dentistas, radiologistas, técnicos de medicina dentária, veterinários e parteiras.

As estatísticas, divulgadas no dia 11 de maio, foram reveladas como parte de um relatório que analisava a forma como o vírus se está a propagar pelo Reino Unido.

As profissões de medicina dentária ocupam ainda os dois primeiros lugares de profissões com maior proximidade de terceiros, um fator-chave na avaliação do risco da transmissão da covid-19.

“Existe uma correlação clara entre a exposição a doenças e a proximidade física de outras pessoas em todas as profissões”, aponta o relatório, citado na Dentistry.co.uk, reiterando que “os profissionais da saúde, como enfermeiros e dentistas, envolvem ambos uma elevada exposição diária e exigem contacto direto com outros pacientes, apesar de durante a pandemia estarem mais propensos a utilizar EPI”.

Os dados indicaram ainda que os trabalhadores do setor da saúde não registaram taxas mais elevadas de mortalidade de covid-19 quando comparados com outros profissionais de outros setores da mesma idade e sexo.

Algumas profissões envolvem um trabalho muito próximo com outras pessoas, além da exposição diária a doenças. As características dos trabalhadores em cada uma destas profissões permite ter a perceção de quem poderá estar mais exposto no exercício das suas funções.

Há mais mulheres a trabalhar em profissões com maior probabilidade de contacto frequente com outras pessoas e também em profissões mais expostas a doenças. Três em cada quatro trabalhadores (75%) nestas funções são mulheres. Entre estas contam-se enfermeiras/auxiliares dentárias, parteiras e enfermeiras veterinárias, profissões em que as mulheres constituem a maioria dos trabalhadores.

Além disso, um em cada cinco dos que trabalham nestas profissões tem 55 anos ou mais, a mesma proporção que a da população ativa em geral. Os trabalhadores desta idade estão sobrerrepresentados em algumas das profissões analisadas.