Quantcast
Tecnologia

Os perigos dos ciberataques para a saúde em 2022

Com o aumento dos ciberataques, notam-se cada vez mais os perigos que a tecnologia pode trazer. Estes não se limitam a apenas áreas específicas, podendo também atingir o setor da saúde. O Gaceta Dental, com base num boletim publicado pela organização de avaliação dispositivos médicos ECRI, apresenta os principais perigos tecnológicos para a saúde em 2022.

Uma das principais ameaças são os ciberataques, tendo em conta sistemas de trabalho cada vez mais digitalizados. Um ciberataque pode significar o reagendamento de consultas e cirurgias, o encerramento de unidades de cuidados ou até organizações inteiras.

 

“Responder a estes riscos requer não só um programa de segurança robusto para evitar que os ataques atinjam dispositivos e sistemas críticos, mas também um plano para manter os cuidados dos pacientes quando o fazem”, afirma o relatório.

Outro grande perigo é na reconstrução de imagem baseada em inteligência artificial (IA), uma vez que, por vezes, podem apresentar pequenos desvios durante a captura de imagem, quando otimizam a qualidade e velocidade dessa reconstrução.

 

Os autores do relatório indicam que isso pode levar a “artefactos sérios” que podem escurecer um tumor, ou causar uma alteração subtil ou desfocagem de características, o que dificultaria a interpretação do diagnóstico.

Dessa maneira, consideram que “os fornecedores devem estar muito conscientes das limitações da tecnologia e da sua aplicabilidade aos seus pacientes, antes de a utilizarem para a imagem”.

 

Outro pormenor, é o mau sinal de Wi-Fi, que pode interromper o fluxo de trabalho, o que atrasa os cuidados dos doentes. Para evitar isto, os autores do estudo recomendam a atribuição cuidadosa de largura de banda WI-FI e redes de monitorização contínua.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?