Quantcast
Médicos Dentistas

Opinião: Liderar em tempos de incerteza

Dilen Ratanji medicina dentária

Na História mais recente, não há memória de uma pandemia como a que estamos a viver. O coronavírus gerou caos na sociedade em que vivemos e, neste momento, continuamos com a mesma certeza: a incerteza. Para quem dirige uma clínica dentária, pode ser particularmente desafiador liderar durante este período. Liderar, acima de tudo, a sua equipa de trabalho. E é neste ponto que gostaria de me focar na presente crónica. Quantas vezes já sentiu a sua clínica como uma “panela de pressão prestes a explodir”? Algumas, presumo, sendo que muitas vezes se resume à gestão de recursos humanos.

Ainda que ninguém esteja imune a sentimentos de stresse, apreensão e instabilidade emocional, há várias formas de liderar os recursos humanos em períodos difíceis e caracterizados pela incerteza. E é precisamente nestes períodos que é essencial os líderes saberem comunicar. Uma comunicação assertiva, objetiva e regular quebra o sentimento de isolamento e ansiedade, e proporciona segurança, conforto e bem-estar aos colaboradores. Ou seja, como líder, procure manter a sua equipa sempre atualizada sobre as novidades da sua clínica e do ambiente que os rodeia e não permita uma “navegação à vista”, tão típica nas empresas portuguesas. Apresente o seu plano de contingência e, mesmo que não tenha boas notícias para dar, faça-o com total transparência e sinceridade. Não ludibrie, não crie expectativas falsas e, acima de tudo, assuma as suas responsabilidades. Mas também faça os seus colaboradores assumirem as deles! Acredite que, se o fizer dessa forma, ganhará credibilidade e a sua equipa unir-se-á para a prossecução dos objetivos da empresa. Uma comunicação regular e envolvente (“envolvente” é a palavra-chave!) tem o condão de unir as equipas, potenciar o espírito de equipa e entreajuda e torna as pessoas mais positivas e motivadas.

Parece-me óbvio que muitos colaboradores não terão a capacidade de perceber o momento, a realidade que os rodeia, o seu líder e/ou os seus colegas. Mas esses também são os colaboradores que porventura estarão a mais na nossa empresa. Um verdadeiro líder não tem a necessidade de mentir e quando o faz é para o bem da sua equipa. O líder é pedagógico e ajuda os seus colaboradores a ser melhores, dia após dia, e a adaptarem-se às novas realidades com que se vão deparando. Seja líder nos bons momentos e, acima de tudo, nos maus momentos. Ainda que o setor dentário seja propenso a causar sentimentos depressivos, fadiga ou desgaste emocional, o líder nunca se deixa abater perante as adversidades, pois é focado, determinado e positivo. Mas também é cauteloso e evita tomar decisões precipitadas e, para isso, pede a opinião dos seus colaboradores em muitas ocasiões, pois tem noção de que “juntos somos sempre mais fortes”. Dê um primeiro passo fundamental: escute os seus colaboradores! Não basta ouvir. O não saber ouvir é a queixa recorrente nas clínicas dentárias. Escutar as suas opiniões, sugestões, reclamações, receios, medos e afins. Filtre a informação que possa interessar a ambas as partes, processe, tire uma ilação e reconheça e valorize quem partilhou a informação consigo. Não se esqueça que provavelmente esse colaborador teve de ganhar uma enorme coragem só para falar consigo!

Uma boa organização interna na sua clínica irá facilitar imenso a comunicação entre todos os elementos. E ajuda, sobretudo, a simplificar a tarefa do líder. A boa organização interna é resultado de procedimentos bem enraizados na estrutura, assim como funções claramente definidas para cada colaborador.

É importante recordar que “baixar os braços” é uma excelente notícia para os seus concorrentes. Seja astuto, ambicioso e corajoso. Parar é morrer. Aja e reaja em conformidade, mesmo quando não tem todas as respostas, pois há uma coisa que é crítica no mundo dos negócios: o time-to-market. Ou seja, poderá haver um momento crítico na vida da sua clínica em que a carruagem passará e o seu negócio poderá ficar para trás. A sua experiência no mundo da dentária e as pessoas que o rodeiam (colaboradores, prestadores de serviços, consultores, contabilistas…) ajudá-lo-ão a tomar as melhores decisões nos melhores e piores momentos.

Um verdadeiro líder inspira e é motivo de enorme orgulho dos seus colaboradores. Não conheço muitos desta casta e sonho um dia poder vir a pertencer a esta elite. São verdadeiramente fortes e tornam fortes os que os acompanham. Os verdadeiros líderes protegem os seus e são, assim, protegidos por eles. E é assim que se constrói o verdadeiro sentimento de pertença, o tão aclamado “amor à camisola”, a verdadeira cultura organizacional da sua empresa.

É particularmente relevante que os seus colaboradores sejam ouvidos coletiva e individualmente. Sendo líder, saberá quando falar com todos ao mesmo tempo ou quando falar individualmente. E saberá ler o perfil de cada um, adaptando a sua comunicação em função disso. Partilhe com os seus colaboradores, legitimamente, os seus receios e preocupações e proponha medidas para resolvê-los, envolvendo-os. Ser líder não implica ser submisso! Pelo contrário, o líder é o Messias que todos querem seguir.

Aos verdadeiros líderes das clínicas dentárias deste país, os meus parabéns!

E você, é líder?

*Artigo de opinião publicado originalmente na edição n.º 135 da revista SAÚDE ORAL, de novembro-dezembro de 2020.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?