Quantcast
Saúde Oral

OMS apela a um melhor uso dos enfermeiros e higienistas orais 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) argumentou que é dada "atenção insuficiente" ao planeamento da mão-de-obra de saúde oral.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), na sua última versão da estratégia global para a saúde oral, argumentou que é dada “atenção insuficiente” ao planeamento da mão-de-obra de saúde oral, para fazer face às necessidades, avança o Dentistry.

A formação dentária, contesta a organização, “raramente está integrada” nos sistemas gerais de formação em saúde. A OMS considera que se concentra principalmente na educação de médicos dentistas altamente especializados – em vez de trabalhadores comunitários de saúde oral e prestadores de serviços intermédios. Isto inclui higienistas dentários, terapeutas dentários, enfermeiros e também assistentes dentários.

A estratégia aborda igualmente um conjunto de princípios orientadores construídos para moldar um futuro mais claro para a saúde oral. Por exemplo:

  1. Uma abordagem de saúde pública para a saúde oral
  2. Integração da saúde oral nos cuidados de saúde primários
  3. Um novo modelo de mão-de-obra de saúde oral para responder às necessidades da população
  4. Cuidados de saúde oral centrados nas pessoas
  5. Saúde oral personalizada em todo o curso de vida
  6. Otimização das tecnologias digitais para a saúde oral.

Atualmente, o documento encontra-se em fase de consulta junto a associações e entidades do setor, até ao dia 17 de setembro. Recorde-se que a estratégia surge após a aprovação na 74º sessão da Assembleia Mundial da Saúde de uma resolução sobre saúde oral.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde oral?