Médicos Dentistas

Menos de 50% dos países recomendam “intervalo sanitário” entre doentes sem covid

Covid-19: 5 dicas para sair da crise

Menos de metade das diretrizes internacionais que avaliam os procedimentos que geram aerossóis recomendam um período de intervalo sanitário entre consultas para os pacientes sem covid nos consultórios dentários.

A notícia foi publicada no site Dentistry UK, e cita um novo relatório, Aerosol Generating Procedures and their Mitigation in International Dental Guidance Documents – A Rapid Review, que avalia de que maneira os procedimentos geradores de aerossóis (AGP) são definidos internacionalmente e quais os processos de mitigação aconselhados.

De acordo com a análise realizada às recomendações dentárias nacionais de 58 países, apenas 48% recomendam um período de intervalo após um tratamento com AGP. Os tempos sugeridos variam entre 2 e 180 minutos.

Além disso, apenas oito países forneceram possíveis fatores de mitigação para permitir uma redução do tempo de intervalo entre pacientes.

A maioria dos países que emitiram recomendações para pacientes positivos para a covid-19 recomendavam as mesmas medidas para pacientes não infetados, segundo o relatório.

Ainda, 98% dos AGP foram aprovados para doentes não covid. Noventa e quatro por cento dos países recomendam a utilização de uma máscara facial e de um “escudo facial”, ou óculos, para doentes não infetados.

Do total de países analisados, 21 (33%) recomendam a utilização de máscaras cirúrgicas para doentes não covid, sendo que 44 países (70%) recomendam a utilização de máscaras FFP2/N95 e 12 países (19%) recomendam a utilização de máscaras FFP3.

Da totalidade de documentos analisados, 82% recomendam a utilização de um colutório para doentes não infetados.

Quarenta e dois países (67%) recomendam o uso de batas cirúrgicas. E 32 países (51%) aconselham o uso de toucas, enquanto 21 países (33%) recomendam o uso de batas descartáveis.